Centro Covid-19 em Santana também atende população de outros municípios

Santana é o segundo município mais afetado pelo novo coronavírus, com registro de 461 casos confirmados e 13 óbitos até esta quarta-feira (13).

Railana Pantoja
Da Redação

Segundo município mais afetado pelo novo coronavírus no Amapá, Santana passa a ter um Centro de Atenção à Covid-19. Até esta quarta-feira (13), de acordo com o boletim estadual, Santana registrava 461 casos confirmados e 13 óbitos.

De acordo com o médico André Franco Ribeiro, diretor da Unidade, nesta quinta-feira (14) quatro pacientes estão internados na UTI e outros oito estão na enfermaria sendo tratados. Além de atender a população santanense, em caso de necessidade o Centro atenderá pacientes de outros municípios.

“Estaremos recebendo agora, por volta de 12h, um paciente de Laranjal do Jari, vem pela UTI aérea, e ele vai ser encaminhado para fazer ventilação mecânica. Desses pacientes que temos internados, dois apenas são originados em Santana, os outros são todos de Macapá”, disse.

O gestor garante que o Centro tem boa estrutura equipada. “As seis unidades de UTI têm monitores, quatro bombas de infusão cada leito e um ventilador de última geração e alta tecnologia. O governo está implantando mais 20 leitos nessa unidade e a gente acredita que em uma semana possa estar funcionando para atender os pacientes. Mas, mesmo assim, se a gente for ver as estatísticas, isso ainda pode ser uma quantidade pequena”, pontua.

Por enquanto, um médico, um enfermeiro, três técnicos de enfermagem, uma nutricionista, um fisioterapeuta, um assistente social e uma farmacêutica fazem o atendimento no Centro.

Gestão

A gestão do Centro Covid-19 em Santana é feita pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), uma organização social de saúde que também é responsável pela UPA Zona Sul, em Macapá. A equipe técnica veio de Goiânia (GO) para atuar no Amapá.

“São pessoas que trabalham há muito tempo com essa área de urgência e emergência. Ontem (13) chegaram 3 médicos que vieram fazer curso de formação, é um protocolo que o IBGH tem. Todos os integrantes, desde o pessoal da faxina até os médicos, têm que ser capacitados para cuidar de um paciente com doença altamente transmissível. Se a gente não tiver cuidado com a equipe de trabalho vamos perder esses profissionais também ao longo do tempo, eles vão adquirir a doença, serão afastados, e a gente vai ficando sem mão de obra”, finalizou o diretor.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/cidades/centro-covid-19-em-santana-tambem-atende-populacao-de-outros-municipios/

Fascio, defende em redes sociais uma transparência mais democrática no dinheiro do Covid19.

Assim como o governo e a prefeitura divulgam todos os dias o boletim “Coronavírus” com o número de pessoas infectadas, mortas, curadas etc, vou sugerir que também divulguem simultaneamente e da mesma forma o valor dos Recursos Federais Recebidos (RFR) e como estão sendo usados.

QUEREMOS O “BOLETIM RFR” nas redes sociais, não somente no “Portal da Transparência”. Você também apoia essa sugestão? Então compartilhe! Juntos contra a corrupção.

Por – Mário Antonio Marques Fascio (Fascio)

Câmera se pronuncia sobre operação expurgo

Nota da câmara

Nota Pública da Câmara Municipal de Santana

A presidente da Câmara Municipal de Santana, no uso de suas atribuições legais, vem a público para manifestar o descontentamento de todos os cidadãos santanenses, por esta casa representados, quanto à Operação Expurgo, deflagrada pela Polícia Federal nesta segunda-feira dia 11 de maio de 2020, que cumpriu mandado de busca e apreensão na Secretaria Municipal de Saúde, na casa de servidores da Prefeitura Municipal de Santana e na casa de empresários, tendo como objetivo investigar irregularidades na contratação direta de serviços de limpeza, desinfecção e assepsia no combate à COVID 19, no município de Santana.

Ante o desconhecimento desta Casa Legislativa do conteúdo da denúncia que deu início ao inquérito da Polícia Federal, a Câmara Municipal de Santana vem a público informar que tomará todas as medidas legais cabíveis de sua responsabilidade, com o pedido de esclarecimentos junto à Prefeitura Municipal, bem como a convocação dos agentes públicos envolvidos para prestarem esclarecimentos no Plenário deste Poder Legislativo Municipal, já na próxima sessão.

Não podemos nesse momento ímpar deixar que nosso município seja desonrado de seus valores morais e materiais, resguardando sempre o devido processo legal, a fim de proteger nossos valores e nossas autoridades, pelo povo constituídas, sem, contudo, fazer juízo de valor ou prejulgamento dos fatos.

Santana, 11 de maio de 2020.

Helena Pereira de Lima
Presidente – CMS

Amapá amplia enfrentamento ao coronavírus com abertura do Centro Covid 3 em Santana

Governo abre em Santana centro para atendimento exclusivo a pacientes com complicações do novo coronavírus.

O Governo do Amapá inicia o atendimento no Centro Covid-19 de Santana, terceira unidade específica para pacientes de média e alta complexidade, infectados pelo novo coronavírus (Covid-19). Na manhã deste sábado, 9, o governador Waldez Góes esteve no local para acompanhar os preparativos para a abertura do espaço que atenderá a população santanense.

Serão encaminhados para o Centro pacientes que já passaram por triagens em Unidades Básicas de Saúde (UBS), atestaram positivo para Covid-19 e que, por estarem em estado grave, necessitem de atendimento e monitoramento contínuo.

Com o segundo maior número de casos de covid-19 do estado, o Centro Covid III terá, inicialmente, 22 leitos. Desses, seis são de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e 16 semi-clínicos. Com isso, o estado passa a ter 47 UTIs ativas. Nos próximos 15 dias, o espaço será ampliado com mais 14 vagas de tratamento intensivo e oito de enfermaria, totalizando 44 leitos em Santana.

“Esse espaço vai regular os pacientes que precisarem de atendimento em Santana e, também, se necessário atender pacientes de outros municípios acometidos pela covid-19. É uma retaguarda para o estado, mas precisamos redobrar os esforços para cumprimento do isolamento social para reduzir a crescente curva de contaminação”, afirmou o governador do Amapá, Waldez Góes.

O Centro será gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), Organização Social (OS) de Goiás, com estrutura de medicação e profissionais para atuar imediatamente. A equipe é composta por 12 médicos plantonistas, entre clínicos e intensivistas, seis enfermeiros, 30 técnicos de enfermagem, dois fisioterapeutas, um psicólogo hospitalar, dois assistentes sociais e um farmacêutico.

Vamos colocar uma estrutura moderna e equipe especializada à disposição da população para socorrer os casos de maneira emergencial”, disse a superintendente do Instituto, Lázara Mundin.

Além da estrutura, o Governo do Amapá também equipou o espaço com leitos, desfibriladores ventiladores, bombas de infusão, monitores paramétricos – que avaliam em tempo real a condição dos sinais vitais do paciente -, carros de parada de emergência, entre outros. 

Centros Covid

Os Centros de Atendimento Covid-19 são unidades para atender especificamente pacientes já diagnosticados com a doença. Ao todo, são três unidades: uma no centro de Macapá, outra na Zona Norte de Macapá e uma em Santana.

Em laranjal do Jari, a unidade de pronto-atendimento foi equipada para atender pacientes com a mesma estrutura dos demais Centros.

Fonte: https://www.portal.ap.gov.br/noticia/0905/amapa-amplia-enfrentamento-ao-coronavirus-com-abertura-do-centro-covid-3-em-santana

A pedido do MP-AP, Justiça determina mais rigor na fiscalização para diminuir circulação de pessoas e conter avanço da Covid-19

Juíza Alaíde de Paula

Na Ação Civil Pública (ACP), o MP-AP aponta o risco iminente de colapso no sistema de saúde do Estado.

Em decisão proferida na noite desta sexta-feira (8), a juíza Alaíde de Paula, titular da 4a Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, acolhendo pedido de urgência do Ministério Público do Amapá (MP-AP), determinou aos governos estadual e municipal que intensifiquem a fiscalização e adotem as medidas necessárias ao cumprimento das regras de isolamento social. Na Ação Civil Pública (ACP), o MP-AP aponta o risco iminente de colapso no sistema de saúde do Estado.

Além de mais rigor na fiscalização das medidas de isolamento já decretadas pelo Governo do Estado do Amapá (GEA) e Prefeitura de Macapá (PMM), a Justiça determinou a restrição de circulação de veículos em Macapá, seja por meio de bloqueios de ruas e avenidas de maior fluxo ou mesmo pela determinação de rodízio de veículos, com fiscalização por radares eletrônicos e/ou por agentes de trânsito, além da aplicação de multa no caso de descumprimento.

Deve, ainda, o Poder Público regulamentar os decretos que tratam do distanciamento social, adotando as seguintes providências:

– Intensificar a fiscalização, por órgãos administrativos com poderes de polícia;

-Definir as espécies de infrações administrativas caracterizadas pelo descumprimento das medidas de isolamento social decretadas;

-Definir os tipos de sanções administrativas, civis e/ou penais passíveis de aplicação às pessoas físicas e jurídicas, em caso de descumprimento das medidas de isolamento social;

– Apontar as autoridades responsáveis pela aplicação das sanções administrativas;

– Lavrar Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), pela Polícia Militar do Estado do Amapá, com remessa ao Poder Judiciário, para evitar deslocamentos até as Delegacias de Polícia e consequentes aglomerações de pessoas.

Por outro lado, a Superintendência de Vigilância em Saúde precisa apresentar estudo técnico-científico, com análises sobre informações estratégicas em saúde, que tratem da eficácia da implantação da medida de restrição temporária e excepcional de locomoção intermunicipal, excetuado os casos de necessidade comprovada, devendo, caso o estudo aponte pela indicação dessa medida, apresentar a respectiva recomendação técnica.

Todas as medidas complementares devem ser amplamente divulgadas pelo Poder Público, em sites oficiais, redes sociais e veículos de comunicação de massa.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/cidades/a-pedido-do-mp-ap-justica-determina-mais-rigor-na-fiscalizacao-para-diminuir-circulacao-de-pessoas-e-conter-avanco-da-covid-19/

Falta de compromisso da população pode nos levar ao lockdown

Devido ao alto fluxo de veículos e ao índice baixo de cumprimento do isolamento social, com 60% da população circulando, a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac), em parceria com a Guarda Municipal e Polícia Militar, faz barreiras de combate à Covid-19 todos os dias na cidade. A finalidade é orientar os condutores sobre as medidas de segurança, o uso das máscaras e a importância do isolamento social.

Desde a última terça-feira, 5, iniciaram as barreiras, começando pela zona central, nas ruas Cândido Mendes, São José, Tiradentes e Padre Júlio. Na quinta-feira, 7, foram as áreas periféricas, começando pela zona norte. Nesta sexta-feira, 8, a fiscalização é reforçada com a operação “Força de Segurança”, com a participação da Polícia Civil, Ministério Público e Vigilância de Saúde.

Foram dispostas na cidade quatro barreiras, na rodovia JK, Duca Serra, Tancredo Neves e Km 9. Ao longo dos próximos dias irão realizar nas vias de mais fluxo de veículos e outras áreas de Macapá. Também está sendo feita a verificação de temperatura das pessoas que estão no veículo.

De acordo com o diretor de Trânsito da CTMac, Manoel Filho, o número de veículos que circula na capital está muito grande, mais de 60% da frota normal trafega, quando o estimado para essa pandemia seria de apenas 10%. “Observamos nesse trabalho que as pessoas não estão entendendo o que é isolamento, pois estão saindo de casa com toda a família. Abordamos veículos com 4 a 5 pessoas, sem necessidade de estarem fora de casa”, relata.

O ponto positivo observado pelos agentes nas blitzen está no uso de máscaras. Condutores de veículos e passageiros estão obedecendo essa medida de segurança. “A população está bem consciente em relação ao uso das máscaras, todos estão utilizando. Em relação a isso, não encontramos problemas. Mas orientamos para que evitem sair de casa. Só em caso de muita necessidade, somente uma pessoa da família para sair e fazer as tarefas, como compras, ir ao banco, e, se possível, não fazer isso todos os dias, e não sair com toda a família no carro, nem visitar parentes ou dar passeios pela cidade. Temos que cumprir o isolamento para ajudar a não transmitir esse vírus e colaborar com que quem trabalha e não pode ficar em casa, como nós, da segurança”, ressalta Manoel Filho.
Reportagem :Ryan Araújo

Infectado por Covid-19, professor no AP é notificado após desobedecer medidas de proteção

Praça Santana-foto Fascio

A Polícia Civil do Amapá notificou por desobediência nesta quinta-feira (7) um homem, de 30 anos, infectado com o novo coronavírus no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá. De acordo com a corporação, ele vinha se recusando receber o resultado do exame e cumprir o isolamento social.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde o exame do homem, que trabalha como professor, foi feito no dia 21 de abril após coleta no Centro de Operações Emergenciais da Covid-19 no município.

Desde então, duas tentativas da entrega formal do resultado foram feitas: na terça-feira (5) e quarta-feira (6). Mesmo morando com a mãe idosa, de 71 anos, há informações que o infectado sai de casa e não usa equipamento de proteção individual.

“Já se tinha notícias que ele sai, que não usa máscara…tanto que nos recebeu sem qualquer material de proteção individual: foi na porta descalço, de bermuda, sem máscara, sem luva, sem nada”, detalhou a delegada Luiza Maia, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Santana.

Delegada Luiza Maia da 2ª Delegacia de Santana — Foto: Caio Coutinho/G1

Delegada Luiza Maia da 2ª Delegacia de Santana — Foto: Caio Coutinho/G1

O professor foi advertido pela desobediência, recebeu o resultado do exame e orientações sobre os cuidados devidos na casa onde mora, no bairro Remédios 2. Porém, segundo a delegada, ele não demostrou preocupação com a situação de saúde.

“Embora ele tenha ficado com um ar debochado, displicente, não mostrando nenhum sinal de que vai colaborar, nós não agimos no poder de policial da segurança pública porque eu não entendi que se caracterizava um desacato”, explicou.

Centro de Atendimento a pacientes com Covid-19 em Santana, no Amapá — Foto: Jorge Júnior/Rede Amazônica

Centro de Atendimento a pacientes com Covid-19 em Santana, no Amapá — Foto: Jorge Júnior/Rede Amazônica

De acordo com a polícia, a partir de agora o infectado será monitorado. Caso seja confirmado que está descumprindo o isolamento social, ele poderá ser preso preventivamente, em uma cela isolada, por colocar em risco a saúde coletiva.

“Nós estamos observando ele no sentindo de ver se vai quebrar as condições restritivas, uma vez que ele sabe que é infectado. Entendo eu, que mesmo assim ele saindo de casa, ele pode estar tipificando um crime mais grave para saúde coletiva. Vamos aguardar o posicionamento desse rapaz, porque ele pode colocar a saúde da população em risco”, indicou a delegada.

Em Santana, até esta quinta-feira, eram novem óbitos em decorrência da Covid-19 e 347 casos confirmados, segundo boletim do governo estadual.

Isto é um mal exemplo, pois além de se prejudicar, prejudica pessoas que nada tem haver com ele, para um professor deveria tomar consciência e ver que a comunidade está acima dele.

Fonte: https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2020/05/07/infectado-por-covid-19-professor-no-ap-e-notificado-apos-desobedecer-medidas-de-protecao.ghtml

Decreto do prefeito de Santana estabelece regras para entrada no distrito da Ilha de Santana

O prefeito Ofirney Sadala, de Santana, baixou nesta quinta-feira (7) o Decreto 620/2020, alterando decretos de 15 e 17 de abril, em razão da continuidade ao combate da Covid-19, em todo o território do município.

De acordo com o artigo terceiro do decreto desta quinta-feira, fica proibido o ingresso no distrito da ilha de Santana de pessoas de outra cidade da federação, bem como de pessoas não residentes ou domiciliadas naquele distrito.

As autoridades municipais e estaduais, quando da fiscalização das regras, poderão exigir os seguintes documentos: certidão de matricula de imóvel; comprovante de pagamento de água, luz, telefone, IPTU, contracheques ou outro documento idôneo que comprove que a pessoa precise entrar na ilha.

Poderão ingressar no distrito da Ilha de Santana as pessoas pertencentes ao mesmo núcleo familiar, compreendido como tais: cônjuges; parentes em linha reta a exemplo de pais, filhos, avós e netos das pessoa que fizerem a comprovação com documentos estabelecidos.

Os proprietários de transportes fluviais como: catraios, barcos e balsas deverão fazer o controle de passageiros solicitando os documentos listados para fins de comprovação para transportar passageiros ao distrito da Ilha de Santana.

Os proprietários de catraios que fizerem transporte de passageiros para o distrito de Santana e vice e versa, deverão disponibilizar álcool em gel ou álcool 70% aos passageiros e só poderão transportar por viagem no máximo de cinco passageiros e todos (tripulação e passageiros) deverão esta utilizando máscaras de proteção.

Os proprietários ou condutores de catraios, barcos ou balsas que forem flagrados pela fiscalização transportando passageiros que não estejam utilizando mascara de proteção ou não comprovem no momento da fiscalização que é morador ou não tenham vinculo familiar com moradores da ilha, perderão a licença ou autorização de transportes até o fim da decretação da pandemia pelo covid-19.

O decreto do prefeito Sadala permite barreiras de fiscalizações municipais e estaduais nas entradas da cidade de Santana, visando impedir a entradas de pessoas no município que não sejam moradoras ou que não desenvolvam atividade laborais ou profissionais, com objetivo de diminuição do transito de pessoas inibindo assim a propagação da covid-19.

As autoridades municipais e estaduais, quando da fiscalização nas barreiras, poderão exigir os seguintes documentos para fins de comprovação a certidão de matricula de imóvel; comprovante de pagamento de água, luz, telefone, IPTU, contracheques ou outro documento idôneo que comprove que a pessoa precise entrar no município.

Os estabelecimentos e atividades que estão autorizados a realizar suas atividades pelo Decreto 456 de 3 de abril de 2020 até 18 de maio de 2020, alterado pelo Decreto 546 de 17 de abril de 2020, além de cumprir as determinações previstas nos mesmo e em outros decretos municipais. Deverão obedecer as recomendações das autoridades sanitárias, sendo obrigado ainda o cumprimento dos procedimentos de segurança, sob pena de aplicações das penalidades na legislação em vigor

Eu Fascio, sou amplamente favorável a restrição, acrescento ainda que toda Santana deveria entrar em lockdown, pois os descumprimentos das regras de quarentena está custando caro para o nosso município.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/cidades/decreto-do-prefeito-de-santana-estabelece-regras-para-entrada-no-municipio/

Transcrito por; Mário Antonio Marques Fascio, analista de sistema, apaixonado por Santana e política.

Nota de pesar Ana Raquel Possas

Ao Eduardo da Raquel,

Desculpe tirar os títulos para esta mensagem, mas isto sei que neste momento é o que menos importa.

Meu amigo, gostaria de deixar registrado, o quanto Raquel e você foram especiais em nossas vidas (Keila e eu). Sei que neste momento de dor não podemos levar nenhuma palavra que lhe traga algum conforto, esperamos realmente que as palavras de nosso Senhor valam para o momento:

8 “Pois os meus pensamentos
não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos”, declara o ­Senhor.

9 “Assim como os céus são mais altos
do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos; e os meus pensamentos,
mais altos do que os seus pensamentos.

 Isaías 55:8,9

Palavras estas que você e Raquel nos ensinaram a trilhar, não falando, e sim com exemplos. Tenho certeza que do Céu, onde a Raquel se encontra, ela olha lá de cima é diz: “Valeu a Pena”. Valeu a pena pelo companheiro, pai e amigo que ajudou ela percorrer esta caminhada na terra.

Estamos muito tristes, eu e a minha esposa, e compartilhamos esta dor, dor esta que neste tempo de pandemia não podemos expressar como gostaríamos, que a vontade que temos era ir te dar um abraço e dizer que você é especial para gente. A morte infelizmente surge a qualquer momento e por vezes leva as pessoas que nos são especiais. Ficam as recordações de uma mulher maravilhosa que deu e ensinou muito a todos nós. A você, eu e Keila, deixamos os nossos sinceros pêsames!

(Mário da Keila e a Keila do Mário)

Cadê nosso hospital universitário?

Meus amigos e amigas de Santana e Macapá, podíamos ter o Hospital Universitário com 300 leitos e 60 modernas UTI.
Mas, o povo fez a escolha que as fotos abaixo retratam.
Uma historia de assassinatos repetidos, através de uma mistura de irresponsabilidade com incompetência.
Deus queira que as previsões, estatísticas ou sei lá em que estão confiando estejam certas. Mais acho muito difícil.
O Centro COVID-19 de Santana terá 18 leitos e desses, apenas 6 serão de UTI, imagina pra uma população em torno de 110 mil habitantes.
O do HE não sei quantos leitos terá. Mas, é certo que longe do necessário.
No carnaval, já no início da pandemia, a oferta era maior e mais luxuosa. Vejam as fotos e tirem suas próprias conclusões.