PROSPERIDADE

Todo ser humano deseja prosperar, alcançar coisas grandes e se orgulhar ao final de sua vida por tantos feitos, por se sentir vivo e útil. Mas até onde a prosperidade é saldável? De qual prosperidade você acredita ser dependente? Prosperar deve ser levado em consideração quando vem acompanhada da presença do Senhor em nossas vidas. Quando nossa existência é útil para o Reino toda e qualquer prosperidade fará sentido, todavia, não se concentra à prosperidade em tesouros, em riquezas neste mundo, pois de acordo com o que diz a palavra de Deus, “aonde estiver o seu tesouro, lá também estará o vosso coração” (Mateus 19:21). Palavras que nos servem de alerta para que saibamos exatamente o que fazer com os recursos que nos vierem às mãos.

O que é prosperidade?

No dicionário da língua portuguesa, a palavras prosperidade significa “estado do que é ou se torna próspero; grande produção de alimentos e bens de consumo; abundância, fartura”.

Já ouvimos falar sobre “grande produção de alimentos”, não é mesmo? José foi usado por Deus para, no Egito, manutenir os mantimentos naquela terra, mesmo tendo ela sido devastada por um período de seca, como previsto através dos sonhos do Faraó. Deus permitiu tempos de abundância para que houvesse sustento nos momentos de escassez. Já se perguntou o motivo por você ter tanto agora? Ou o porque de haver tão pouco em sua mesa nesse exato momento?

Fato é que, independentemente de como esteja a sua vida nesse exato momento, a fartura ou a escassez é algo extremamente palpável e pode lhe alcançar a qualquer momento.

A prosperidade pode ser tanto de alimentos em abundância quanto simplesmente pela bênção de estar sendo guiado por Deus em meio a um deserto (êxodo 13:21).

Não há pecado em querer ter, mas há discordância à luz da Bíblia quando ter implica no que é SER.

O que diz à Bíblia a respeito da prosperidade?

É desejo do Senhor que sejamos prósperos, afinal de contas, Ele não nos colocou aqui para mendigar o pão, entretanto, também não nos trouxe para este mundo para que tivéssemos riquezas e nos esquecêssemos de quem nos concedeu tudo o que possuímos (Deuteronômio 8:19).

Em Salmos, no capítulo 35, versículo de número 27 deixa claro o quanto Deus ama ver a nossa prosperidade, o nosso bem-estar. Porém, logo que vemos o versículo 28, é possível perceber o salmista deixando mais do que claro que, a pesar de Deus se orgulhar e se sentir feliz em nos ver prósperos, fica evidente que tudo isso deve ser acompanhado de profunda gratidão e exultante louvor ao nosso Pai. Pois conforme a última passagem citada declara “e assim a minha língua falará da tua justiça e do teu louvor todo o dia”.

Perceba que não há erros, conforme dito no início, em ser prospero, mas a deficiência em prosperar sem a companhia de Cristo, sem estarmos em sua presença, certamente é algo que destruirá a todos nós. Não há como viver acreditando que somos autossuficientes. É impossível, ainda que com toda a riqueza do planeta, estar completo sem que haja o preenchimento do Seu amor em nossas vidas, em nosso dia a dia.

Determinantemente, é impossível viver longe do amor de Jesus.

O cristão e a prosperidade

Esse tem sido um tema bastante debatido em igrejas e fora delas nos últimos tempos. Como ficam os cristãos em meio à prosperidade?

O Senhor se alegra em buscarmos insistentemente riquezas e preenchimentos de prazeres egoístas? Como o Pai nos olha?

Como bem vimos acima, Deus não nos condena por prosperarmos, pelo contrário, Ele se alegra e é exatamente sua Pessoa quem nos abençoa e nos faz prósperos.

Então, qual o motivo por este tema ser tão polêmico e causar tantas discórdias no meio eclesiástico? Qual é o exato problema em se ter?

Ter e não saber o que fazer com o que se tem, ou simplesmente ter e fazer uso dessa ferramenta não de maneira sadia, antes, tornando-se escravo do próprio crescimento e das consequências que essa condição lhe trouxe. Lembra que nas escrituras está declarado que onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração? Pois é. O que você tem te torna escravo? Sua condição te arrancou dos pés da cruz? Sua conta bancária, suas casas, carros, iates e tantas outras riquezas te fizeram esquecer quem lhe deu tudo isso?

Se tudo o que você tiver de valioso seja o que o dinheiro pode comprar, sinto informar que não há tesouros plausíveis, capazes de te garantir uma passagem para os céus ao encontro do Redentor.

O erro não estar em ser cristão e prosperar, a falha começa quando não entendo a minha condição de cristão. Quando não lembro que o “ide” é mais importante do que o “vinde”, perdi a essência do cristianismo e esqueci dos ensinamentos dAquele que me tornou um cristão, ou seja, de quem se deu em meu lugar para que eu pudesse ser um imitador de sua conduta, para que eu fosse um “minicristo”.

É errado prosperar?

De maneira alguma! É errado aceitar ser apenas mais um, quando de certo você não foi criado para ser mais um. Calma! Todos nós somos apenas “mais um”, mas quando nos entregamos a Cristo e a sua obra, somos “mais um a serviço”, somos MAIS UM SOLDADO no fronte!

Sua vida precisa fazer sentido, e para que isso é preciso trabalhar. É preciso produzir.

Produz-se tanto para seu sustento quanto para o Reino. Produz-se de acordo com o que fomos chamados para cultivar.

A bíblia nos exorta que não devemos ser preguiçosos (Provérbios 21:25). Logo podemos perceber que não sendo preguiçoso, a prosperidade é algo natural. Quando se trabalha, é normal que haja prosperidade, que haja provento.

Em sua palavra, Cristo revela que antes devemos buscar o Reino de Deus e todas as demais coisas nos seriam acrescentadas (Mateus 6:33). Ele elucida de forma simples que NADA iria nos faltar que se decidíssemos buscar a sua glória, a sua face. Ele indica que se cuidarmos do que é dEle, Ele cuidará do que é nosso.

Nossa vida não faria sentido se apenas buscássemos prosperidade para nós mesmos. Deus nos faz prosperar para que através das bençãos que recebemos, pudéssemos ser bençãos em outras vidas (Mateus 25:35-45).

Nossas riquezas não são nossas, jamais serão, pois somos visitantes por aqui. O que aqui conseguirmos, aqui ficará. Prospere, prospere muito! Prospere tanto que tudo o que você conquistar seja instrumento indiscutível de auxílios aos pequeninos do Senhor.

Prospere, tenha carro, casa, lazer e diversão. Tenha conforme para oferecer à sua família. Tenha tudo, inclusive compaixão aos que nada tem. Ajunte todos os seus tesouros nos céus. Ajunte toda a sua fortuna (mesmo que seja R$10,00) para as coisas do reino.

Portanto, não há erro algum em prosperar, desde que seja para se tornar útil na vida de outras pessoas.

Se prospero, o mérito é exclusivamente meu?

Nem mesmo a sua vida é exclusiva sua, menos ainda de seus pais – que lhe geraram – pois se isso aconteceu foi graças as misericórdias de Deus.

Há sim mérito seu. Seu esforço te levou a lugares altos. Suas noites em claro, seus dias alongados, suas 24h que não eram suficientes… tudo isso te fez chegar mais longe, tudo isso cooperou para que a prosperidade chegasse ao teu lar.

Não se engane acreditando que tudo quanto você fizer ou tenha feito lhe garantirá prosperidade, condições diferenciadas dos demais de sua vizinhança. Antes, jamais se esqueça de que “nenhuma folha cai da árvore sem que haja a permissão do Pai”. Portanto, “Os olhos do Senhor estão em toda parte, observando atentamente os maus e os bons” (Provérbios 15:3).

Nada sai do controle do nosso Deus (Lucas 21:18). É Ele quem diz quando e se vamos prosperar. É Ele quem nos dá as condições que acreditamos ser exclusivas do nosso ser para lutar em prol daquilo que almejamos.

Você nunca conseguirá um passo sequer sem que haja a misericórdia do Criador.

Se você prosperar ou não, nenhuma das duas situações será mérito exclusivo seu.

O alívio que você espera, seja financeiro, de saúde ou de qualquer natureza pode estar distante, pode demorar mais um dia, um mês ou trinta anos, ainda assim, saiba que há tempo para todas as coisas debaixo dos céus (Eclesiastes 3:1-2). Não se desespere!

Prosperidade

Pelas igrejas ou fora delas, a palavra que dá título a esse vídeo tem sido o verbo da moda. Quem não deseja ser alguém importante e de posses? Eu desejo, você deseja, todos desejamos e, não há pecado nisso, pois devemos lembrar que não fomos criados para sermos criaturas irrelevantes.

Para finalizar, a prosperidade é algo permitido e feita pelo próprio Deus. Tudo que aqui há foi criado para o nosso deleite. Tudo quanto recebermos deve ser encarado como prosperidade. Um pedaço de pão é a prosperidade de quem não tem o que comer. A conquista do primeiro emprego é o presente próspero daquele jovem que desejava ingressar no mercado de trabalho. A mesa posta e rica em alimento é a prosperidade de um pai batalhador.

Tudo é prosperidade! A MAIOR DE TODAS AS PROSPERIDADES TEM UM NOME: VIDA COM CRISTO!

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD

Namoro Cristão

O tema namoro cristão é um assunto bastante abordado em centenas de igrejas na atualidade. Cada vez os adolescentes estão em busca de relacionamentos, tentando suprir uma carência que há 20, 30 anos atrás era inexistente. Mas os tempos mudam, não é mesmo? Sim, os tempos ganham novas caras, mas a bíblia continua a mesma – atemporal.

A seguir, vamos tentar compreender, juntos, a dinâmica a respeito de como deve ser o namoro cristão, o que procurar nessa relação, como vencer as tentações da carne e a idade adequada para o início de um relacionamento saudável e duradouro. Vejamos:

Como deve ser um namoro cristão?

Nenhum relacionamento vem com manual de instruções, certo? Errado! À luz da bíblia temos respaldos sobre como conduzir os nossos relacionamentos, sejam eles namoro, noivado, casamento ou com nossos pais e filhos, amigos, chefes… tudo é uma questão de ouvir o que diz a palavra de Deus.

O namoro cristão deve obedecer ao que ordena a bíblia, respeitando o nosso corpo o qual serve de morada para o Espírito Santo de Deus, respeitar a pessoa que está ao seu lado e principalmente crescer como indivíduo.

Entenda que é no namoro que se forma o dito “sermos um” após o casamento. Conheça a pessoa que está ao seu lado, observe o que ela pensa e espera de um relacionamento com Deus. Não é pecado namorar e no meio do caminho desistir, ao descobrir que aquela pessoa não tem a sua fé alicerçada o suficiente para conduzir uma relação à dois. Pior será permanecer em uma relação (namoro) cuja saúde espiritual está debilitada ou até mesmo inexiste.

Em um namoro cristão procure:

  • Não deixar de orar;
  • Evite ficar sozinho com o(a) namorado(a);
  • Não deixe de ler a bíblia;
  • Tenha mentores de qualidade na igreja;
  • Namore sabendo que o próximo passo deve ser o noivado e posterior casamento;
  • Não se isole dos amigos saudáveis e que te fazem crescer na fé;
  • Ouça sempre os seus pais;
  • Saiba que o(a) seu(sua) namorado(a) não deve ser mais importante que Deus;
  • Sejam amigos um do outros, mas não apenas amigos, MELHORES AMIGOS.

Como vencer os desejos da carne?

Há uma só pessoa em todo o universo que é capaz de nos conduzir à vitória contra os desejos da carne, sejam eles sexuais, de jogos ou qualquer outro tipo de situação que possa nos levar ao declínio da vida cristã e social, chama-se Espírito Santo.

Somente o Espirito Santo é capaz de nos conduzir por um namoro cristão sadio, explorando as qualidades pessoais e intelectuais do(a) parceiro(a) que podem nos fortalecer na fé, não as físicas. Bem sabemos, como dizem as escrituras em Eclesiastes 3:1-8, quando nos declara que “há tempo para todas as coisas debaixo dos céus”.

Não se precipite, aguarde o tempo certo para o seu desejo e, no que tange ao sexual, somente após o casamento.

Qual a idade adequada para iniciar um namoro cristão

Não temos essa informação na bíblia, talvez por não haver de fato uma idade correta para iniciar uma relação amorosa. Só que devemos ter o bom senso, e com já bem mencionei acima – ouvir os pais é de suma importância para uma vida equilibrada – vamos aos pontos que podem te ajudar a entender quando iniciar um namoro cristão:

Seja maduro o suficiente para conduzir uma relação;

Certifique-se que a pessoa ao seu lado tem maturidade;

Converse com seus pais;

Seja amigo em todo tempo;

Converse com o seu líder na igreja;

Peça auxílio do pastor;

Saiba que o namoro é um ensaio para o casamento, não um passa tempo de final de semana;

Coloque em sua mente que essa relação, se for saudável é pra toda uma vida;

Ouça a voz de Deus através das leituras bíblicas;

Cerquem-se de amigos saudáveis;

Caminhem juntos na fé;

Orem juntos;

Frequentem a igreja juntos;

A traição não é um “ponto e vírgula” entre uma briga e outra.

Considerações finais

Se você tem a intenção de namorar determinada pessoa, ore a Deus, peça que Ele te ajude nessa escolha. Peça a Deus olhos de águia para que possa compreender a fundo a outra pessoa. Chame-o(a) para uma conversa e esqueça a timidez, pois a bíblia diz que os tímidos não herdarão os céus (apocalipse 21:8).

É difícil se declarar? Então seja antes de tudo amigo daquela pessoa. Afinal, um relacionamento é sobretudo um laço eterno de amizade e fidelidade.

Mário Fascio

Presidente da Igreja Virtual Povo de Deus – IVPD

P.S: Direitos reservados para IVPD, você pode copiar desde que mencione autor e fonte.