Prefeitura anuncia programas de assistência às famílias em vulnerabilidade social em Santana

Durante uma live na tarde desta quarta-feira, 31, o prefeito de Santana, Bala Rocha (PP), na companhia da Secretária Municipal de Assistência Social, Priscilla Azevedo e da Secretária Municipal de Saúde, Ithiara Madureira, anunciou o Programa Alimento na Mesa e o Cesta Solidária, que trarão benefícios para as famílias em vulnerabilidade social, neste momento crítico de pandemia.

O Programa Alimento na Mesa, trata do novo auxílio alimentação, que garante a 6.500 famílias, R$ 800,00, divididos em 3 parcelas, a primeira de R$ 300,00 e mais duas de R$ 250,00, que tem recursos conseguidos através de emendas parlamentares do Senador Randolfe Rodrigues e do Deputado Federal Luiz Carlos.

O cadastro no Alimento na Mesa será feito após a aprovação do projeto de lei na Câmara Municipal de Vereadores de Santana, sendo lançado um edital de chamamento público, com uma data de início para o cadastramento, que será online, sendo ratificado que ainda não foi realizado nenhum cadastro em relação a esse projeto.

O Cesta solidária é outra ação de assistência social que já está sendo executado, sendo iniciado com 1.500 cestas básicas. As pessoas que contraírem o vírus da Covid-19, serão beneficiados com uma cesta básica para suprir suas necessidades, tornando possível o seu isolamento social, prevenindo a retransmissão.

Para participar do Cesta Solidária, o cidadão pode entrar em contato no número 98406-5137 ou através da Unidade Sentinela, onde serão encaminhados às assistentes sociais que irão realizar um atendimento humanizado, e realizarão o agendamento de visitas para fazer o estudo social da vulnerabilidade das famílias.

Amapá prorroga lockdown por mais 7 dias

Na sexta-feira (2), domingo (4) e segunda-feira (5), só poderão abrir atividades essenciais e alguns estabelecimentos comerciais.

O governador do Amapá, Waldez Góes, anunciou nesta quarta-feira (31),um novo decreto estadual que prorroga por mais 7 dias, com validade até 7 de abril, as medidas mais restritivas visando a redução de casos, internações e mortes pela Covid-19.

Continua valendo o o toque de recolher a partir de 20h, a proibição da venda de bebida alcoólica, o rodízio de veículos em Macapá.

Em função do feriado da Sexta-feira Santa, em 2 de abril, foi definido um novo cronograma para o fechamento de quase todas as atividades comerciais. O feriado estadual de “Dia de Cabralzinho”, foi antecipado de 15 de maio para a segunda-feira (5).

Na sexta-feira (2), domingo (4) e segunda-feira (5), só poderão abrir atividades essenciais e alguns estabelecimentos comerciais. São eles:

* farmácias e postos de combustível (24 horas)
* batedeiras de açaí (8h às 14h)
* padarias e panificadoras (15h às 19h)
* revendas de água e gás; somente delivery (8h às 20h)
* docerias, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, churrascarias e similares; somente delivery (8h às 1h)

Na quinta-feira (1º), sábado (3), terça-feira (6) e quarta-feira (7) está permitida a abertura de diversas atividades, nas modalidades presencial, delivery, drive-thru e agendamento.

Os estabelecimentos que estão permitis abrir na modalidade presencial são: supermercados, atacarejos, ambulantes, panificadoras, mini-boxes, feiras fechadas e livres, oficinas mecânicas, batedeiras de açaí e postos de combustível. Restaurantes, lanchonetes e similares seguem apenas na modalidade delivery.

A prefeitura de Macapá também publicou medidas para a abertura dos estabelecimentos.

Veja algumas:

* Supermercados e atacarejos: 7h às 18h (presencial)
* Mini-boxes e mercantis: 10h às 18h (presencial)
* Feiras livres e fechadas, peixarias, açougues: 7h às 13h
* Oficinas mecânicas: 13h às 19h
* Ambulantes e camelôs: 9h às 15h
* Funerárias, hotéis, motéis, chaveiros, borracharias: 24 horas por dia


A prefeitura de Macapá liberou a abertura de academias de musculação, crossfit, dança e pilates, nos horários de 6h às 20h na quinta-feira (1º), sábado (3), terça-feira (6) e quarta-feira (7), com 25% da capacidade e horário limitado para permanência de clientes.

Igrejas e templos religiosos é liberado o funcionamento apenas de quinta (1º) à domingo (4), de 6h às 20h, com limite de 50% da ocupação e no máximo 50 frequentadores.

As demais atividades seguem suspensas com proibição total de abertura.
 

Covid-19: Amapá registra mais 7 mortes e 280 casos; são 1.318 óbitos e 98.324 infectados

Boletim desta sexta-feira (2) indicou que são 308 pacientes internados pela doença, sendo 145 em UTI e 163 em leito clínico.

Mortes

Os óbitos informados no boletim do governo estadual de hoje ocorreram em dois municípios. Eles ocorreram entre 10 de maio de 2020 e quinta-feira (1º). Veja os detalhes:

  • SANTANA: mulher de 46 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 10 de maio de 2020;
  • MACAPÁ: homem de 74 anos, com diabete mellitus e obesidade, falecido em 1º de agosto de 2020;
  • SANTANA: homem de 81 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 18 de março;
  • MACAPÁ: mulher de 56 anos, sem comorbidades declaradas, falecida em 26 de março;
  • MACAPÁ: homem de 69 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 31 de março;
  • MACAPÁ: homem de 66 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 1º de abril;
  • MACAPÁ: mulher de 46 anos, com obesidade, falecida em 1º de abril;

Em relação ao total de óbitos, a maior parte está concentrada em Macapá, com 982 registros, seguida por Santana (115), Laranjal do Jari (80) e Oiapoque (32).

Adolescente é morto a facadas e pauladas no Igarapé da Fortaleza

Vítima, de 13 anos, estaria ingerindo bebida alcoólica quando se desentendeu com uma mulher. Um elemento conhecido como ‘Nabau’ teria atacado o menor com pauladas e facadas.

Elden Carlos
Editor-chefe

Um adolescente, de 13 anos, foi morto a facadas e pauladas no início da madrugada desta segunda-feira (14) no Igarapé da Fortaleza, área limítrofe entre os municípios de Macapá e Santana. O Centro Integrado em Operações da Defesa Social (Ciodes) registrou o caso a 0h36. A irmã da vítima declarou que o adolescente havia chegado do interior há cerca de dois dias.

Apesar da pouca idade ele estaria fazendo ingestão de bebida alcoólica no local com outras pessoas quando houve um desentendimento com uma mulher. Ainda de acordo com o Ciodes, durante a discussão um elemento identificado pela alcunha de ‘Nabau’ passou a desferir as pauladas e facadas no menor.

O resgate médico foi acionado. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi deslocada para o local onde constatou o óbito. O delegado Pedro Manoel Vergara, da 1ª Delegacia de Polícia (1ª DP) de Santana requisitou a remoção do cadáver.

A Polícia Militar (PM) realizou diligências na região, mas não localizou o suspeito do homicídio. O corpo do adolescente foi removido para o Departamento de Medicina Legal (DML) da Polícia Técnico-Científica (Politec) para ser necropsiado.

Fonte: Adolescente é morto a facadas e pauladas no Igarapé da Fortaleza – Diário do Amapá – Compromisso com a Notícia (diariodoamapa.com.br)

Conexão Gospel no ar

Novo programa na rádio 105,9 FM em Santana/AP, todo sábado, começando as 20:00h e terminando 00:00h, Conexão Gospel, diretor Mário Fascio, apresentação Guto Gomes e Mário Fascio, muito louvor, oração, pregação da palavra, curiosidade bíblicas e muita descontração, não percam, um programa que vale a pena ser visto!

Por: Mário Antonio Marques Fascio (Fascio)

Amapá tem mais de 19 mil casos confirmados de coronavírus

Matemática do covid

O Governo do Amapá atualiza nesta quinta-feira,18, o boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus no estado. Agora, são 19.387 casos confirmados e 10.740 em análise laboratorial. Os testes também descartaram 14.708 casos suspeitos.

O boletim de agora traz 769 novos casos confirmados, sendo 149 em Macapá, 168 em Santana, 42 em Laranjal do Jari, 20 em Mazagão, 47 em Oiapoque, 61 em Pedra Branca, 76 em Porto Grande, 8 em Serra do Navio. 52 em Vitória do Jari, 29 em Tartarugalzinho, 15 em Amapá, 13 em Ferreira Gomes, 38 em Cutias e 51 em Calçoene.

A atualização inclui também 4 novos óbitos ocorridos em Macapá, no período de 13 a 21 de maio. Todos estavam sob investigação.

Os óbitos são de duas mulheres de 43 e 69 anos, ambas sem comorbidades declaradas e falecidas no Centro Covid 2. Também faleceram dois homens, ambos sem comorbidades declaradas. Um deles, de 58 anos, no Centro Covid 2; o outro, de 72 anos, na Unidade Básica de Saúde (UBS) Álvaro Corrêa.

Assim, o Amapá chega a 342 mortes em 15 municípios. (Macapá 208 / Santana 45 / Laranjal do Jari 38/ Mazagão 6/ Oiapoque 8/ Pedra Branca do Amapari 5/ Porto Grande 5/ Serra do Navio 4/ Vitória do Jari 10/ Tartarugalzinho 1/ Amapá 4/ Ferreira Gomes 2/ Cutias do Araguari 2 / Calçoene 2/ Pracuúba 2).

Entre os recuperados, estão 8.766 pessoas. (Macapá 4.072 / Santana 537/ Laranjal do Jari 1.561 / Mazagão 158/ Oiapoque 637/ Pedra Branca 664/ Porto Grande 107/ Serra do Navio 284/ Vitória do Jari 123/ Itaubal 55/ Tartarugalzinho 196/ Amapá 83/ Ferreira Gomes 123/ Cutias do Araguari 68/ Calçoene 90/ Pracuúba 8).

Dos 19.387 casos confirmados:

  • Macapá: 8.111
  • Santana: 2.448
  • Laranjal do Jari: 2.402
  • Mazagão: 619
  • Oiapoque: 1.164
  • Pedra Branca: 1.669
  • Porto Grande: 472
  • Serra do Navio: 351
  • Vitória do Jari: 608
  • Itaubal: 156
  • Tartarugalzinho: 243
  • Amapá: 206
  • Ferreira Gomes: 204
  • Cutias do Araguari: 314
  • Calçoene: 330
  • Pracuúba: 90.

Já em relação aos casos suspeitos, os municípios declaram 16.005, sendo:

  • Macapá: 8.455
  • Santana: 2.478
  • Laranjal do Jari: 2.001
  • Mazagão: 430
  • Oiapoque: 316
  • Pedra Branca do Amapari: 10
  • Porto Grande: 320
  • Serra do Navio: 60
  • Vitória do Jari: 681
  • Itaubal: 15
  • Tartarugalzinho: 403
  • Amapá: 95
  • Ferreira Gomes: 67
  • Cutias do Araguari: 515
  • Calçoene: 40
  • Pracuúba: 119

O número de pessoas com Covid-19 em isolamento hospitalar nas redes pública e privada é de 256 pacientes, sendo 150 casos confirmados e 106 suspeitos.

Entre os casos confirmados, 127 estão no sistema público (47 em leito de UTI /80 em leito clínico) e 23 estão na rede particular (17 em leito de UTI /3 em leito clínico).

Já entre os casos suspeitos, 32 estão no sistema público (1 em leito de UTI /31 em leito clínico), e 74 estão na rede particular (13 em leito de UTI /61 em leito clínico).

Em isolamento familiar: 10.129

Todos estes dados são do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL/AP) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), que auxiliam o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COESP) – dispositivo criado pelo Governo do Amapá para gerenciar a crise de COVID-19 no estado.

Eleições 2020: “Se Marcivânia vier, ela engessa Ofirney”, diz Nogueira

O ex-prefeito de Santana, Antonio Nogueira, disse durante entrevista ao programa O Debate que, se caso, a professora Marcivânia vier a ser candidata à Prefeitura, ela deixa o atual gestor da cidade, Ofirney Sadala engessado, ou seja, deixa-o limitado para a disputa.

“Ao meu entender ela deixa o atual prefeito Sadala engessado. Ele vai ter o que é dele, mas ele perde a possibilidade de crescimento”, disse Nogueira.

Nogueira afirma ainda, que, com a possível candidatura de Marcivânia, além de inviabilizar a reeleição de Sadala, ela passa a disputar diretamente com uma candidatura da Frente por Santana, a qual ele coordena.

Nogueira diz que Marcivânia engessa Ofirney na disputa.

“Ela passa a disputar direto com a candidatura da Frente por Santana, que será o Bala, Isabel ou Jory. Ela vai disputar aqui e o Ofirney ficaria lá pelo 3º lugar.

A análise do ex-prefeito indica uma possível polarização de candidaturas entre Marcivânia e a candidatura da Frente por Santana, ainda a ser definida entre os nomes: Bala, Isabel ou Jory.

Marcivânia vem mesmo?

Apesar dos muitos pedidos vindos da sociedade para a professora Marcivânia disputar a eleição, ela ainda não comunicou se vai ou não ser candidata.

Fonte: https://santana360.com.br/2020/06/17/eleicoes-2020-se-marcivania-vier-ela-engessa-ofirney-diz-nogueira/

Desembargador nega pedido de ex-deputada para reformar decisão em processo da 4ª Vara Cível

desem. Carlos Tork

Alvo de ação de improbidade, Mira Rocha pretendia prova pericial em declaração sobre locação de veículos.

Considerando ausente o requisito da probabilidade do direito, o desembargador Carlos Tork, do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), indeferiu pedido de tutela antecipada em agravo de instrumento interposto pela ex-deputada estadual Mira Rocha (Elizalmira do Socorro Rocha Arraes Freires), buscando reformar decisão proferida em processo que tramita na 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública da Comarca de Macapá que indeferiu o pedido de realização de prova pericial.

A defesa da ex-deputada esclarece que, no processo principal – ação de improbidade -, a petição inicial apresentada traz termo de declaração de Maicon de Souza dos Santos informando que nunca realizou locação à Mira Rocha, porém em manifestação preliminar ela junta contratos de locação assinados por Maicon, restando evidente a necessidade da prova pericial.

Ela requereu o deferimento de efeito ativo ao recurso, com o objetivo de atribuir efeito suspensivo ou mesmo conceder a antecipação de tutela, no sentido de deferir a produção da prova pericial por entender necessária a produção da prova pericial grafotécnica, sob pena de violação do contraditório, da ampla defesa e da verdade real, uma vez que na ação principal o Ministério Público traz como prova o depoimento de  Maicon dos Santos no sentido de que nunca realizou locação à então deputada. No caso, a prova demonstraria que a testemunha do MP-AP faltou com a verdade.

De acordo com o desembargador, no caso dos autos, ao contrário das alegações de Mira Rocha, não há dúvida quanto à assinatura do contrato de locação, uma vez que da petição inicial apresentada na ação de improbidade colhe-se que o Maicon Santos foi ouvido e informou que não realizou a locação dos veículos.

“Especificamente, da petição inicial consta: “Para explicar o que ocorrera, o proprietário da empresa Locamais expôs que, no mês de agosto de 2011, seu contador, Roger Cezar de Melo Miranda, o procurou a fim de que o declarante (Maicon) firmasse contrato de locação de veículo com Elizalmira do Socorro Arraes Freire, e o assinou, no entanto, uma semana após a assinatura, questionou ao contador quanto ao contrato assinado, este o informou que a locação não teria ocorrido. Ou seja, do trecho resta incontroverso que o contrato de locação teria sido assinado por Maicon, situação que torna desnecessária a realizaç&ati lde;o da perícia grafotécnica requerida”, cita Carlos Tork na decisão.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/politica/desembargador-nega-pedido-de-ex-deputada-para-reformar-decisao-em-processo-da-4a-vara-civel/

Vereador de Santana quer CPI do Coronavírus para investigar gastos da gestão do prefeito Ofirney Sadala

rarisson santiago

Rarison Santiago conseguiu o número de assinaturas necessárias para a CPI, mas falta a instalação.

O vereador Rarison Santiago (Republicanos), líder da oposição ao prefeito Ofirney Sadala (PHS), conseguiu emplacar o requerimento que cria uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar gastos na ordem R$ 4,1 milhões destinados ao combate da covid-19 em Santana.

Com o apoio dos vereadores Adelson Rocha (PCdoB), Socorro Nogueira (PT), Katia Lima (PSD) e Josivaldo Abrantes (PDT), Rarison Santiago conseguiu, de acordo com o Regimento Interno da Câmara Municipal, completar as cinco assinaturas necessárias para criar a “CPI do Coronavírus” ou “CPI do Covidão” de Santana.

As cinco assinaturas correspondem a um terço dos 15 vereadores da Casa, número exigido para que o requerimento de CPI seja lido em plenário, realizando em seguida a composição dos três membros, respeitando a proporcionalidade dos partidos, que serão apontados pela presidente Helena Lima (Solidariedade).

O vereador Rarison Santiago afirmou que o número de assinaturas suficientes para a instalação da chamada “CPI do Covidão” foi uma grande vitória da sociedade santanense que cobra mais transparência em relação aos recursos federais destinados para o combate ao coronavírus, já que o retorno não foi sentido na ponta pela população durante os meses de março, abril, maio e junho, quando procuraram atendimento e tratamento para a pandemia na rede municipal de Saúde.

“O município recebeu mais de R$4 milhões em maio e no momento de ápice da pandemia do coronavírus em Santana, o que observamos foi a gritaria geral da população que procurava atendimento na UBS Maria Tadeu, recebia atendimento médico, mas voltava para casa sem os medicamentos necessários para o início do tratamento da doença, tendo que se deslocar para capital ou realizar comprar em valores altíssimos na rede particular”, diz o vereador, que é pré-candidato a prefeito no município.

De acordo com dados registrados no Portal da Transparência do Covid-19 da Prefeitura de Santana, os recursos destinados em maio são da bancada federal por meio de indicação da deputada federal Leda Sadala, irmã do prefeito, mas o município também recebeu R$ 4,3 milhões em junho do governo federal, totalizando mais R$ 8 milhões nos últimos dois meses para combater a pandemia.

“Com R$ 4 milhões daria para oferecer o serviço de tomografia computadorizada aos santanenses, já que com o exame que na rede particular custa cerca de R$ 350, os médicos conseguem ter um diagnóstico mais acurado da doença e até hoje não temos o exame de tomografia, mesmo com milhões em conta”, denuncia o parlamentar.

Operação Expurgo da PF
O pedido de CPI tem como objeto principal, investigar gastos de recursos federais na ordem de R$ 4,1 milhões, mas podem alcançar a cifra de mais de R$ 8 milhões destinados à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), tendo como foco processos com dispensa de licitações, contratos emergenciais que levantaram suspeitas por parte dos parlamentares sobre possíveis direcionamentos, favorecimento e até mesmo suspeitas de superfaturamento em valores verificados em notas de empenhos. Algumas dessas suspeitas também são alvos de investigação da Polícia Federal na Operação Expurgo, realizada em maio.

A Operação Expurgo da PF realizou mandados de busca e apreensão na casa da secretária de Saúde Maira Carvalho, residências de empresários e no prédio da Semsa, apontando durante as investigações, suspeitas de direcionamento e fraudes em licitações na ordem de R$ 1,8 milhão em recursos para o covid-19.

Rarison afirma que o festival de dispensas de licitações mesmo com o decreto de emergência chama a atenção da imprensa local e da sociedade, alertando a oposição que confirmou diversas informações do portal que precisam ser investigadas.
Um dos casos emblemáticos é a compra de insumos hospitalares pela empresa Santana Hospitalar, que até o momento da denúncia na imprensa santanense tinha endereço desconhecido e só passou a ter identificação num prédio localizado às margens da rodovia Duca Serra, após denúncias numa emissora de rádio local.

A nota de empenho apresentada pela Santana Hospitalar apresenta valores que não estariam de acordo com a realidade de mercado.

“Agora é instalar a CPI e pressionar junto com a sociedade, investigando todos os processos, pedindo apoio do MP, MPF e da PF para abrir a caixa-preta do coronavírus em Santana. Assim vamos saber por que faltou remédios básicos como azitromizina, ivermectina e insumos durante a pandemia, que poderiam salvar vidas que foram perdidas, já que milhões foram destinados na conta do Fundo Municipal de Saúde,” finalizou Rarison Santiago.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/politica/vereador-de-santana-quer-cpi-do-coronavirus-para-investigar-gastos-da-gestao-do-prefeito-ofirney-sadala/

Profissionais do Hospital de Santana passam por testagem do Covid-19

O Governo do Estado do Amapá realizou na manhã desta terça-feira (02), mais uma ação de testagem rápida para covid-19 em profissionais de saúde, desta vez, no Hospital Estadual de Santana. Foram feitos 237 testes. 
A ação faz parte das medidas do Estado de atenção aos profissionais que atuam na linha de frente do combate à covid-19. Trata-se de uma trabalho contínuo. 
Dos 237 testes:
• 161 – testaram não reagente.  • 56 igG – fase que não apresenta risco de transmissão e já se encontra recuperado.  • 12 igM e igG – estágio inicial de recuperação.  • 8 igM – quando o paciente está na fase aguda. 
O farmacêutico da SVS, Giovani Mariano, avalia a ação de maneira positiva. 
“Tivemos um alto índice de pessoas com igG, que são os infectados que já criaram anticorpos contra o vírus. Isso é uma boa notícia, porque além do sistema imunológico deles combater o vírus, não apresentam mais sintomas, não transmitem mais, o que significa que podem voltar para ajudar os colegas de trabalho no combate ao coronavírus”, disse Giovani.