Amapá prorroga lockdown por mais 7 dias

Na sexta-feira (2), domingo (4) e segunda-feira (5), só poderão abrir atividades essenciais e alguns estabelecimentos comerciais.

O governador do Amapá, Waldez Góes, anunciou nesta quarta-feira (31),um novo decreto estadual que prorroga por mais 7 dias, com validade até 7 de abril, as medidas mais restritivas visando a redução de casos, internações e mortes pela Covid-19.

Continua valendo o o toque de recolher a partir de 20h, a proibição da venda de bebida alcoólica, o rodízio de veículos em Macapá.

Em função do feriado da Sexta-feira Santa, em 2 de abril, foi definido um novo cronograma para o fechamento de quase todas as atividades comerciais. O feriado estadual de “Dia de Cabralzinho”, foi antecipado de 15 de maio para a segunda-feira (5).

Na sexta-feira (2), domingo (4) e segunda-feira (5), só poderão abrir atividades essenciais e alguns estabelecimentos comerciais. São eles:

* farmácias e postos de combustível (24 horas)
* batedeiras de açaí (8h às 14h)
* padarias e panificadoras (15h às 19h)
* revendas de água e gás; somente delivery (8h às 20h)
* docerias, lanchonetes, restaurantes, pizzarias, churrascarias e similares; somente delivery (8h às 1h)

Na quinta-feira (1º), sábado (3), terça-feira (6) e quarta-feira (7) está permitida a abertura de diversas atividades, nas modalidades presencial, delivery, drive-thru e agendamento.

Os estabelecimentos que estão permitis abrir na modalidade presencial são: supermercados, atacarejos, ambulantes, panificadoras, mini-boxes, feiras fechadas e livres, oficinas mecânicas, batedeiras de açaí e postos de combustível. Restaurantes, lanchonetes e similares seguem apenas na modalidade delivery.

A prefeitura de Macapá também publicou medidas para a abertura dos estabelecimentos.

Veja algumas:

* Supermercados e atacarejos: 7h às 18h (presencial)
* Mini-boxes e mercantis: 10h às 18h (presencial)
* Feiras livres e fechadas, peixarias, açougues: 7h às 13h
* Oficinas mecânicas: 13h às 19h
* Ambulantes e camelôs: 9h às 15h
* Funerárias, hotéis, motéis, chaveiros, borracharias: 24 horas por dia


A prefeitura de Macapá liberou a abertura de academias de musculação, crossfit, dança e pilates, nos horários de 6h às 20h na quinta-feira (1º), sábado (3), terça-feira (6) e quarta-feira (7), com 25% da capacidade e horário limitado para permanência de clientes.

Igrejas e templos religiosos é liberado o funcionamento apenas de quinta (1º) à domingo (4), de 6h às 20h, com limite de 50% da ocupação e no máximo 50 frequentadores.

As demais atividades seguem suspensas com proibição total de abertura.
 

Covid-19: Amapá registra mais 7 mortes e 280 casos; são 1.318 óbitos e 98.324 infectados

Boletim desta sexta-feira (2) indicou que são 308 pacientes internados pela doença, sendo 145 em UTI e 163 em leito clínico.

Mortes

Os óbitos informados no boletim do governo estadual de hoje ocorreram em dois municípios. Eles ocorreram entre 10 de maio de 2020 e quinta-feira (1º). Veja os detalhes:

  • SANTANA: mulher de 46 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 10 de maio de 2020;
  • MACAPÁ: homem de 74 anos, com diabete mellitus e obesidade, falecido em 1º de agosto de 2020;
  • SANTANA: homem de 81 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 18 de março;
  • MACAPÁ: mulher de 56 anos, sem comorbidades declaradas, falecida em 26 de março;
  • MACAPÁ: homem de 69 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 31 de março;
  • MACAPÁ: homem de 66 anos, sem comorbidades declaradas, falecido em 1º de abril;
  • MACAPÁ: mulher de 46 anos, com obesidade, falecida em 1º de abril;

Em relação ao total de óbitos, a maior parte está concentrada em Macapá, com 982 registros, seguida por Santana (115), Laranjal do Jari (80) e Oiapoque (32).

Governo volta atrás e libera igrejas e delivery de alimentação no fim de semana no Amapá.

Um dia após estender restrição máxima, governo edita regras para o funcionamento de atividades econômicas.

Nesta quinta-feira (25), o governo do Amapá  alterou  regras do decreto de medidas restritivas, permitindo o serviço de delivery para o setor de alimentação e a abertura de igrejas todos os dias, inclusive no sábado (27) e no domingo (28).

Veja as alterações anunciadas:

* Igrejas: celebrações e atividades afins poderão acontecer todos os dias, com 50% da capacidade de ocupação, até o limine de 50 pessoas, incluindo o celebrante;

* Supermercados: abrem nesta quinta e na sexta até 20h; sábado e domingo seguem fechados; na segunda, terça e quarta-feira funcionam das 7h às 13h;

* Minibox e afins: abre nesta quinta e na sexta até 20h; sábado e domingo seguem fechados; na segunda, terça e quarta-feira atendem das 10h às 18h;

* Restaurantes e empresas do ramo de alimentação: não podem atender presencialmente, somente por delivery, de 8h até 1h, desta quinta-feira até quarta-feira da semana que vem;

* seguem valendo a ‘Lei Seca’ (proibidos a comercialização e consumo de bebidas alcoólicas) e o toque de recolher das 20h até 6h

CASO DOS UNIFORMES: EX-SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE CLÉCIO TEM BENS BLOQUEADOS PELA JUSTIÇA

Dalva_Clécio

A justiça federou bloqueou os bens da ex-secretária de educação de Macapá, Dalva Figueiredo, até o montate de R$ 120 mil, na ação que investiga a compra de uniformes escolares na gestão do ex-prefeito Clécio Luis (Sem Partido). 

Também tiveram os bens bloqueados, Maria Nalma dos Santos Ramos, Nabil Colares Ghammachi Cardoso, E.S. Cardoso Comércio e Serviços – ME, Ramos Serviços Eireli – ME e Ghammachi & Ghammachi LTDA – EPP.

De acordo com às investigações, na segunda quinzena de maio de 2016, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) da prefeitura de Macapá foi alvo de investigação pelo pagamento de pelo menos R$ 700 mil na compra de 37 mil peças de roupas supostamente não entregues. 

À época, a então secretária Dalva Figueiredo (PT), que foi afastada e mais tarde exonerada do cargo, disse que os uniformes começaram a ser entregues em fevereiro pelas empresas, mesmo mês que os pagamentos passaram a ser efetuados. Ela informou que as roupas tiveram que retornar às fabricantes por causa de falhas na confecção, o que gerou a notificação das três contratadas. De acordo com a secretaria, cerca de 70% dos lotes apresentaram problemas. O restante teria sido dividido entre escolas com reformas entregues em 2016. 

Segundo as investigações, diversos pagamentos foram realizados às três empresas responsáveis pela confecção dos uniformes sem que a entrega do material realmente houvesse sido feita. Além disso, grande parte das peças apresentava baixa qualidade e erros de confecção que inutilizavam os itens. O prejuízo aos cofres públicos, segundo relatório da Controladoria-Geral da União (CGU), é de mais de R$ 700 mil.

Baseado em informações colhidas no relatório da CGU e em denúncias recebidas, o MPF realizou diligências investigativas para conhecer o modo de operação que possibilitava os pagamentos indevidos e delimitar a participação dos envolvidos no esquema. Para o MPF, ficou comprovado que se estruturou, no âmbito da Semed, uma organização criminosa, contando com a participação de agentes públicos e empresários, com o objetivo de efetuar os desvios de recursos públicos federais provenientes de emenda parlamentar.

Dentro da secretaria, os pagamentos para as empresas eram liberados sem a devida conferência do material. A própria fiscal dos contratos, servidora da Semed à época, informou atestar o verso das notas fiscais sem nunca ter realizado qualquer conferência ou mesmo de ter visto os uniformes. Após a juntada das notas fiscais aos processos de pagamento, o setor de Divisão de Finanças da secretaria era o responsável por aprovar a liquidação das despesas. Após, a ex-secretária da Semed determinava a realização dos pagamentos sabidamente indevidos.

No caso dos empresários, além de terem sido beneficiários diretos dos pagamentos indevidos, eles também eram responsáveis por apresentar requerimentos à Semed, nos quais alegavam falsamente a entrega de determinada quantidade de uniformes e solicitavam a respectiva contrapartida financeira. Segundo relatório da CGU, a contratação previa a entrega de 120 mil unidades de uniforme, pagos praticamente de forma integral às empresas. Porém, pouco mais de 15 mil peças, entre camisetas e bermudas, foram entregues em condições de uso. Outros seis mil uniformes apresentaram defeitos de fabricação.

Após ser exonerada do cargo, a então secretária de Educação, Dalva Figueiredo, disse  que o prefeito de Macapá, Clécio Luís, sabia dos pagamentos de empresas sem entrega total da compra de uniformes escolares, assim como obras feitas sem licitação pela pasta.

“É claro que o prefeito não determina o que o secretário tinha que pagar ou não. Mas ele sabia e foi ele que descobriu. No Congresso do Povo fizemos uma exposição de tudo, dos uniformes e das lousas digitais, que são de emendas. Quando o prefeito viu, ele detectou que estava borrado, nesse momento ele disse pra mim ‘não esse uniforme não foi autorizado’. Aí eu fui buscar um email da Comunicação para a professora Antônia [ex-secretária de Educação] mostrando aquele modelo. (…) Não teve dolo e os empresários entregaram documentos se comprometendo em entregar em vinte dias os uniformes”, disse a ex-secretária à época.

Dalva ainda afirmou que ao chegar na secretaria em setembro de 2015 foram identificadas várias irregularidades. Elas estavam sob ciência do prefeito, a exemplo da reforma da escola Pratinha, no distrito de São Joaquim do Pacuí, que teria sido feita sem licitação, além de contratos de aluguéis considerados altos.

À época, o então prefeito Clécio não quis se pronunciar sobre as falas da então secretária de educação. 

Eleitor macapaense decide neste domingo quem será o novo prefeito de Macapá

Josiel e Furlan

A disputa será entre Josiel Alcolumbre (DEM) e Dr. Furlan (Cidadania)

Neste domingo (20), as 292.718 pessoas aptas a votar em Macapá irão às urnas para escolher quem será o prefeito da cidade na legislatura 2021-2024. O segundo turno da disputa será entre Josiel Alcolumbre (DEM) e Dr. Furlan (Cidadania), os dois candidatos mais votados dos dez postulantes ao cargo. Será o oitavo prefeito de Macapá escolhido pelo voto direto.

Tão importante quanto decidir entre Furlan e Josiel é o comparecimento de mesários e eleitores às seções eleitorais observando as normas de segurança sanitária, uma vez que o Brasil volta a registrar um aumento nos índices de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Vale lembrar que o pleito ocorrerá das 7h às 17h, com atendimento prioritário aos maiores de 60 anos nas três primeiras horas de funcionamento das seções eleitorais.

No primeiro turno foi registrado o comparecimento de 217.161 (74,19%) eleitores e 75.557 abstenções, número que corresponde a 25,81% do eleitorado. Os votos em branco somaram 2,64% (5.740), e os nulos chegaram 4,38% (9.512). No primeiro turno, os eleitores macapaenses também escolheram 23 vereadores.

Perfis
Empresário e jornalista, José Samuel Alcolumbre, de 47 anos, mais conhecido como Josiel, nasceu em Belém (PA) e é filiado ao Democratas (DEM) desde 2010. Sua vice na chapa é Silvana Vedovelli (Avante). Eles concorrem pela coligação Macapá em Primeiro Lugar (PDT/PSC/PL/PV/PSDB/PSD/Solidariedade/PROS/Avante/Republicanos/PP/DEM).

Antônio Paulo de Oliveira Furlan, conhecido como Dr. Furlan (Cidadania), tem 47 anos e é natural da Costa Rica. Sua vice na chapa é Mônica Penha (MDB). Eles são candidatos pela coligação De Coração por Macapá (Cidadania/MDB/PMN).

Locais de votação

Neste domingo (20), Macapá terá o segundo turno das Eleições Municipais de 2020. Como os endereços de algumas seções eleitorais podem ter sido alterados em razão das medidas de segurança adotadas para prevenir a propagação da covid-19, é importante checar com antecedência o seu local de votação.

Serviços indisponíveis
Como ocorre sempre nos finais de semana de eleições, alguns serviços oferecidos pelos portais da Justiça Eleitoral estão indisponíveis desde a noite de sexta-feira (18).

O Sistema de Filiação Partidária (Filia), o Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias (SGIP) e o Sistema de Apoiamento a Partidos em Formação (SAPF) voltarão a funcionar após o término da totalização do segundo turno das eleições para prefeito em Macapá (AP), marcado para este domingo (20).

Outros serviços, como a certidão de quitação eleitoral e consulta ao local de votação, poderão sofrer instabilidades. Todos os sistemas voltarão ao funcionamento normal ainda na noite de domingo.

Fonte: Eleitor macapaense decide neste domingo quem será o novo prefeito de Macapá – Diário do Amapá – Compromisso com a Notícia (diariodoamapa.com.br)

Segundo turno: Josiel e Furlan disputam Prefeitura de Macapá no dia 20

Dos 217.161 votos totalizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Josiel recebeu 59.511 (29,47%) e Furlan garantiu 32. 369 (16,03%).

Josiel Alcolumbre (DEM) e Antônio Furlan (Cidadania) foram os mais votados pelos macapaenses neste domingo (6) e disputam o segundo turno das eleições municipais na capital do Amapá. Dos 217.161 votos totalizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Josiel recebeu 59.511 (29,47%) e Furlan garantiu 32. 369 (16,03%).

Perfil – Josiel

José Samuel Alcolumbre Tobélem, de 47 anos, mais conhecido como Josiel, é filho de Samuel Tobélem e Júlia Alcolumbre. Tem quatro irmãos, sendo um deles o presidente do senado, Davi Alcolumbre, e uma irmã. Aos 14 anos assumiu responsabilidades de trabalho com os pais e aos 16 foi emancipado, dando início à vida como empresário.

Josiel é casado há 25 anos com Lene Tobélem, com quem tem uma filha, Raquel. É jornalista, filiado ao Democratas (DEM) desde 2010, preside o Diretório Municipal do partido em Macapá e é primeiro suplente de senador desde 2014. Disputando a Prefeitura, Josiel tem Silvana Vedovelli (Avante) como vice.

Perfil- Furlan

Antônio de Oliveira Furlan é médico cardiologista, atualmente cumprindo o terceiro mandato como deputado estadual, pelo partido Cidadania, é casado e pai de sete filhos. Em 2010 disputou sua primeira eleição para deputado estadual e desde então concilia a vida de parlamentar com a Medicina.

Nascido em 9 de julho de 1973, em San Jose, Costa Rica, Dr. Furlan tem mestrado em Cirurgia Cardiovascular e em 2003 veio para Macapá implantar o serviço de cirurgia cardíaca no estado. Para Dr. Furlan, “pra ter uma cidade inteligente você precisa cuidar das pessoas”, e é com esse ideal que o candidato defendeu algumas propostas.

Imagens: Gabriel Penha e Joelson Palheta

Amapá tem mais de 19 mil casos confirmados de coronavírus

Matemática do covid

O Governo do Amapá atualiza nesta quinta-feira,18, o boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus no estado. Agora, são 19.387 casos confirmados e 10.740 em análise laboratorial. Os testes também descartaram 14.708 casos suspeitos.

O boletim de agora traz 769 novos casos confirmados, sendo 149 em Macapá, 168 em Santana, 42 em Laranjal do Jari, 20 em Mazagão, 47 em Oiapoque, 61 em Pedra Branca, 76 em Porto Grande, 8 em Serra do Navio. 52 em Vitória do Jari, 29 em Tartarugalzinho, 15 em Amapá, 13 em Ferreira Gomes, 38 em Cutias e 51 em Calçoene.

A atualização inclui também 4 novos óbitos ocorridos em Macapá, no período de 13 a 21 de maio. Todos estavam sob investigação.

Os óbitos são de duas mulheres de 43 e 69 anos, ambas sem comorbidades declaradas e falecidas no Centro Covid 2. Também faleceram dois homens, ambos sem comorbidades declaradas. Um deles, de 58 anos, no Centro Covid 2; o outro, de 72 anos, na Unidade Básica de Saúde (UBS) Álvaro Corrêa.

Assim, o Amapá chega a 342 mortes em 15 municípios. (Macapá 208 / Santana 45 / Laranjal do Jari 38/ Mazagão 6/ Oiapoque 8/ Pedra Branca do Amapari 5/ Porto Grande 5/ Serra do Navio 4/ Vitória do Jari 10/ Tartarugalzinho 1/ Amapá 4/ Ferreira Gomes 2/ Cutias do Araguari 2 / Calçoene 2/ Pracuúba 2).

Entre os recuperados, estão 8.766 pessoas. (Macapá 4.072 / Santana 537/ Laranjal do Jari 1.561 / Mazagão 158/ Oiapoque 637/ Pedra Branca 664/ Porto Grande 107/ Serra do Navio 284/ Vitória do Jari 123/ Itaubal 55/ Tartarugalzinho 196/ Amapá 83/ Ferreira Gomes 123/ Cutias do Araguari 68/ Calçoene 90/ Pracuúba 8).

Dos 19.387 casos confirmados:

  • Macapá: 8.111
  • Santana: 2.448
  • Laranjal do Jari: 2.402
  • Mazagão: 619
  • Oiapoque: 1.164
  • Pedra Branca: 1.669
  • Porto Grande: 472
  • Serra do Navio: 351
  • Vitória do Jari: 608
  • Itaubal: 156
  • Tartarugalzinho: 243
  • Amapá: 206
  • Ferreira Gomes: 204
  • Cutias do Araguari: 314
  • Calçoene: 330
  • Pracuúba: 90.

Já em relação aos casos suspeitos, os municípios declaram 16.005, sendo:

  • Macapá: 8.455
  • Santana: 2.478
  • Laranjal do Jari: 2.001
  • Mazagão: 430
  • Oiapoque: 316
  • Pedra Branca do Amapari: 10
  • Porto Grande: 320
  • Serra do Navio: 60
  • Vitória do Jari: 681
  • Itaubal: 15
  • Tartarugalzinho: 403
  • Amapá: 95
  • Ferreira Gomes: 67
  • Cutias do Araguari: 515
  • Calçoene: 40
  • Pracuúba: 119

O número de pessoas com Covid-19 em isolamento hospitalar nas redes pública e privada é de 256 pacientes, sendo 150 casos confirmados e 106 suspeitos.

Entre os casos confirmados, 127 estão no sistema público (47 em leito de UTI /80 em leito clínico) e 23 estão na rede particular (17 em leito de UTI /3 em leito clínico).

Já entre os casos suspeitos, 32 estão no sistema público (1 em leito de UTI /31 em leito clínico), e 74 estão na rede particular (13 em leito de UTI /61 em leito clínico).

Em isolamento familiar: 10.129

Todos estes dados são do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL/AP) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), que auxiliam o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COESP) – dispositivo criado pelo Governo do Amapá para gerenciar a crise de COVID-19 no estado.

Av. Joaquina Silva do Amaral pede socorro

Os moradores do Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá, reclamam das condições da Av. Joaquina Silva do Amaral, que corta o bairro. O trecho entre as ruas Marabaixo e João de Deus está tomado pelo mato, que, em alguns pontos, chega a atingir 1,7 metro de altura, segundo afirmam os líderes comunitários da região.A via é uma das principais ligações entre os bairros Novo Horizonte e o Jardim Felicidade. De acordo com o líder comunitário João Ximenes, nos últimos 3 anos a vegetação foi tomando conta da via, impedindo o fluxo de veículos no trecho. A linha de ônibus Pedrinhas/Novo Horizonte que trafegava pelo local foi desviada para outra avenida.

O mato alto no local resultou no acúmulo de lixo e na proliferação de animais peçonhentos e pragas, segundo informou Luiza Souza, de 42 anos, que mora há 18 anos no bairro. A parte coberta pelo mato ao longo de 3 anos obrigou os moradores a construirem passarelas de madeira para o tráfego com segurança na área.Com essa situação fica difícil para a ambulância e a polícia entrarem por aqui. Os doentes têm que ser carregados até a parte asfaltada para poderem ir ao hospital”, conta a moradora, acrescentando que em alguns pontos o mato chega a ultrapassar a sua altura, de 1,65 metro.

Os líderes comunitários do bairro já solicitaram à Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur) a limpeza da via, porém, segundo eles, não houve resposta à solicitação.

Reportagem : Ryan Araújo

A pedido do MP-AP, Justiça determina mais rigor na fiscalização para diminuir circulação de pessoas e conter avanço da Covid-19

Juíza Alaíde de Paula

Na Ação Civil Pública (ACP), o MP-AP aponta o risco iminente de colapso no sistema de saúde do Estado.

Em decisão proferida na noite desta sexta-feira (8), a juíza Alaíde de Paula, titular da 4a Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, acolhendo pedido de urgência do Ministério Público do Amapá (MP-AP), determinou aos governos estadual e municipal que intensifiquem a fiscalização e adotem as medidas necessárias ao cumprimento das regras de isolamento social. Na Ação Civil Pública (ACP), o MP-AP aponta o risco iminente de colapso no sistema de saúde do Estado.

Além de mais rigor na fiscalização das medidas de isolamento já decretadas pelo Governo do Estado do Amapá (GEA) e Prefeitura de Macapá (PMM), a Justiça determinou a restrição de circulação de veículos em Macapá, seja por meio de bloqueios de ruas e avenidas de maior fluxo ou mesmo pela determinação de rodízio de veículos, com fiscalização por radares eletrônicos e/ou por agentes de trânsito, além da aplicação de multa no caso de descumprimento.

Deve, ainda, o Poder Público regulamentar os decretos que tratam do distanciamento social, adotando as seguintes providências:

– Intensificar a fiscalização, por órgãos administrativos com poderes de polícia;

-Definir as espécies de infrações administrativas caracterizadas pelo descumprimento das medidas de isolamento social decretadas;

-Definir os tipos de sanções administrativas, civis e/ou penais passíveis de aplicação às pessoas físicas e jurídicas, em caso de descumprimento das medidas de isolamento social;

– Apontar as autoridades responsáveis pela aplicação das sanções administrativas;

– Lavrar Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), pela Polícia Militar do Estado do Amapá, com remessa ao Poder Judiciário, para evitar deslocamentos até as Delegacias de Polícia e consequentes aglomerações de pessoas.

Por outro lado, a Superintendência de Vigilância em Saúde precisa apresentar estudo técnico-científico, com análises sobre informações estratégicas em saúde, que tratem da eficácia da implantação da medida de restrição temporária e excepcional de locomoção intermunicipal, excetuado os casos de necessidade comprovada, devendo, caso o estudo aponte pela indicação dessa medida, apresentar a respectiva recomendação técnica.

Todas as medidas complementares devem ser amplamente divulgadas pelo Poder Público, em sites oficiais, redes sociais e veículos de comunicação de massa.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/cidades/a-pedido-do-mp-ap-justica-determina-mais-rigor-na-fiscalizacao-para-diminuir-circulacao-de-pessoas-e-conter-avanco-da-covid-19/

Falta de compromisso da população pode nos levar ao lockdown

Devido ao alto fluxo de veículos e ao índice baixo de cumprimento do isolamento social, com 60% da população circulando, a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac), em parceria com a Guarda Municipal e Polícia Militar, faz barreiras de combate à Covid-19 todos os dias na cidade. A finalidade é orientar os condutores sobre as medidas de segurança, o uso das máscaras e a importância do isolamento social.

Desde a última terça-feira, 5, iniciaram as barreiras, começando pela zona central, nas ruas Cândido Mendes, São José, Tiradentes e Padre Júlio. Na quinta-feira, 7, foram as áreas periféricas, começando pela zona norte. Nesta sexta-feira, 8, a fiscalização é reforçada com a operação “Força de Segurança”, com a participação da Polícia Civil, Ministério Público e Vigilância de Saúde.

Foram dispostas na cidade quatro barreiras, na rodovia JK, Duca Serra, Tancredo Neves e Km 9. Ao longo dos próximos dias irão realizar nas vias de mais fluxo de veículos e outras áreas de Macapá. Também está sendo feita a verificação de temperatura das pessoas que estão no veículo.

De acordo com o diretor de Trânsito da CTMac, Manoel Filho, o número de veículos que circula na capital está muito grande, mais de 60% da frota normal trafega, quando o estimado para essa pandemia seria de apenas 10%. “Observamos nesse trabalho que as pessoas não estão entendendo o que é isolamento, pois estão saindo de casa com toda a família. Abordamos veículos com 4 a 5 pessoas, sem necessidade de estarem fora de casa”, relata.

O ponto positivo observado pelos agentes nas blitzen está no uso de máscaras. Condutores de veículos e passageiros estão obedecendo essa medida de segurança. “A população está bem consciente em relação ao uso das máscaras, todos estão utilizando. Em relação a isso, não encontramos problemas. Mas orientamos para que evitem sair de casa. Só em caso de muita necessidade, somente uma pessoa da família para sair e fazer as tarefas, como compras, ir ao banco, e, se possível, não fazer isso todos os dias, e não sair com toda a família no carro, nem visitar parentes ou dar passeios pela cidade. Temos que cumprir o isolamento para ajudar a não transmitir esse vírus e colaborar com que quem trabalha e não pode ficar em casa, como nós, da segurança”, ressalta Manoel Filho.
Reportagem :Ryan Araújo