Amapá tem mais de 19 mil casos confirmados de coronavírus

Matemática do covid

O Governo do Amapá atualiza nesta quinta-feira,18, o boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus no estado. Agora, são 19.387 casos confirmados e 10.740 em análise laboratorial. Os testes também descartaram 14.708 casos suspeitos.

O boletim de agora traz 769 novos casos confirmados, sendo 149 em Macapá, 168 em Santana, 42 em Laranjal do Jari, 20 em Mazagão, 47 em Oiapoque, 61 em Pedra Branca, 76 em Porto Grande, 8 em Serra do Navio. 52 em Vitória do Jari, 29 em Tartarugalzinho, 15 em Amapá, 13 em Ferreira Gomes, 38 em Cutias e 51 em Calçoene.

A atualização inclui também 4 novos óbitos ocorridos em Macapá, no período de 13 a 21 de maio. Todos estavam sob investigação.

Os óbitos são de duas mulheres de 43 e 69 anos, ambas sem comorbidades declaradas e falecidas no Centro Covid 2. Também faleceram dois homens, ambos sem comorbidades declaradas. Um deles, de 58 anos, no Centro Covid 2; o outro, de 72 anos, na Unidade Básica de Saúde (UBS) Álvaro Corrêa.

Assim, o Amapá chega a 342 mortes em 15 municípios. (Macapá 208 / Santana 45 / Laranjal do Jari 38/ Mazagão 6/ Oiapoque 8/ Pedra Branca do Amapari 5/ Porto Grande 5/ Serra do Navio 4/ Vitória do Jari 10/ Tartarugalzinho 1/ Amapá 4/ Ferreira Gomes 2/ Cutias do Araguari 2 / Calçoene 2/ Pracuúba 2).

Entre os recuperados, estão 8.766 pessoas. (Macapá 4.072 / Santana 537/ Laranjal do Jari 1.561 / Mazagão 158/ Oiapoque 637/ Pedra Branca 664/ Porto Grande 107/ Serra do Navio 284/ Vitória do Jari 123/ Itaubal 55/ Tartarugalzinho 196/ Amapá 83/ Ferreira Gomes 123/ Cutias do Araguari 68/ Calçoene 90/ Pracuúba 8).

Dos 19.387 casos confirmados:

  • Macapá: 8.111
  • Santana: 2.448
  • Laranjal do Jari: 2.402
  • Mazagão: 619
  • Oiapoque: 1.164
  • Pedra Branca: 1.669
  • Porto Grande: 472
  • Serra do Navio: 351
  • Vitória do Jari: 608
  • Itaubal: 156
  • Tartarugalzinho: 243
  • Amapá: 206
  • Ferreira Gomes: 204
  • Cutias do Araguari: 314
  • Calçoene: 330
  • Pracuúba: 90.

Já em relação aos casos suspeitos, os municípios declaram 16.005, sendo:

  • Macapá: 8.455
  • Santana: 2.478
  • Laranjal do Jari: 2.001
  • Mazagão: 430
  • Oiapoque: 316
  • Pedra Branca do Amapari: 10
  • Porto Grande: 320
  • Serra do Navio: 60
  • Vitória do Jari: 681
  • Itaubal: 15
  • Tartarugalzinho: 403
  • Amapá: 95
  • Ferreira Gomes: 67
  • Cutias do Araguari: 515
  • Calçoene: 40
  • Pracuúba: 119

O número de pessoas com Covid-19 em isolamento hospitalar nas redes pública e privada é de 256 pacientes, sendo 150 casos confirmados e 106 suspeitos.

Entre os casos confirmados, 127 estão no sistema público (47 em leito de UTI /80 em leito clínico) e 23 estão na rede particular (17 em leito de UTI /3 em leito clínico).

Já entre os casos suspeitos, 32 estão no sistema público (1 em leito de UTI /31 em leito clínico), e 74 estão na rede particular (13 em leito de UTI /61 em leito clínico).

Em isolamento familiar: 10.129

Todos estes dados são do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL/AP) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), que auxiliam o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COESP) – dispositivo criado pelo Governo do Amapá para gerenciar a crise de COVID-19 no estado.

Eleições 2020: “Se Marcivânia vier, ela engessa Ofirney”, diz Nogueira

O ex-prefeito de Santana, Antonio Nogueira, disse durante entrevista ao programa O Debate que, se caso, a professora Marcivânia vier a ser candidata à Prefeitura, ela deixa o atual gestor da cidade, Ofirney Sadala engessado, ou seja, deixa-o limitado para a disputa.

“Ao meu entender ela deixa o atual prefeito Sadala engessado. Ele vai ter o que é dele, mas ele perde a possibilidade de crescimento”, disse Nogueira.

Nogueira afirma ainda, que, com a possível candidatura de Marcivânia, além de inviabilizar a reeleição de Sadala, ela passa a disputar diretamente com uma candidatura da Frente por Santana, a qual ele coordena.

Nogueira diz que Marcivânia engessa Ofirney na disputa.

“Ela passa a disputar direto com a candidatura da Frente por Santana, que será o Bala, Isabel ou Jory. Ela vai disputar aqui e o Ofirney ficaria lá pelo 3º lugar.

A análise do ex-prefeito indica uma possível polarização de candidaturas entre Marcivânia e a candidatura da Frente por Santana, ainda a ser definida entre os nomes: Bala, Isabel ou Jory.

Marcivânia vem mesmo?

Apesar dos muitos pedidos vindos da sociedade para a professora Marcivânia disputar a eleição, ela ainda não comunicou se vai ou não ser candidata.

Fonte: https://santana360.com.br/2020/06/17/eleicoes-2020-se-marcivania-vier-ela-engessa-ofirney-diz-nogueira/

Desembargador nega pedido de ex-deputada para reformar decisão em processo da 4ª Vara Cível

desem. Carlos Tork

Alvo de ação de improbidade, Mira Rocha pretendia prova pericial em declaração sobre locação de veículos.

Considerando ausente o requisito da probabilidade do direito, o desembargador Carlos Tork, do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), indeferiu pedido de tutela antecipada em agravo de instrumento interposto pela ex-deputada estadual Mira Rocha (Elizalmira do Socorro Rocha Arraes Freires), buscando reformar decisão proferida em processo que tramita na 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública da Comarca de Macapá que indeferiu o pedido de realização de prova pericial.

A defesa da ex-deputada esclarece que, no processo principal – ação de improbidade -, a petição inicial apresentada traz termo de declaração de Maicon de Souza dos Santos informando que nunca realizou locação à Mira Rocha, porém em manifestação preliminar ela junta contratos de locação assinados por Maicon, restando evidente a necessidade da prova pericial.

Ela requereu o deferimento de efeito ativo ao recurso, com o objetivo de atribuir efeito suspensivo ou mesmo conceder a antecipação de tutela, no sentido de deferir a produção da prova pericial por entender necessária a produção da prova pericial grafotécnica, sob pena de violação do contraditório, da ampla defesa e da verdade real, uma vez que na ação principal o Ministério Público traz como prova o depoimento de  Maicon dos Santos no sentido de que nunca realizou locação à então deputada. No caso, a prova demonstraria que a testemunha do MP-AP faltou com a verdade.

De acordo com o desembargador, no caso dos autos, ao contrário das alegações de Mira Rocha, não há dúvida quanto à assinatura do contrato de locação, uma vez que da petição inicial apresentada na ação de improbidade colhe-se que o Maicon Santos foi ouvido e informou que não realizou a locação dos veículos.

“Especificamente, da petição inicial consta: “Para explicar o que ocorrera, o proprietário da empresa Locamais expôs que, no mês de agosto de 2011, seu contador, Roger Cezar de Melo Miranda, o procurou a fim de que o declarante (Maicon) firmasse contrato de locação de veículo com Elizalmira do Socorro Arraes Freire, e o assinou, no entanto, uma semana após a assinatura, questionou ao contador quanto ao contrato assinado, este o informou que a locação não teria ocorrido. Ou seja, do trecho resta incontroverso que o contrato de locação teria sido assinado por Maicon, situação que torna desnecessária a realizaç&ati lde;o da perícia grafotécnica requerida”, cita Carlos Tork na decisão.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/politica/desembargador-nega-pedido-de-ex-deputada-para-reformar-decisao-em-processo-da-4a-vara-civel/

Partido dos Trabalhadores contesta projeto de lei que pretende criar Guarda Municipal de Santana

Nogueira

Antônio Nogueira fala em oportunismo eleitoral e diz que o projeto já existe desde 2000.

O presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) no Amapá, Antônio Nogueira de Souza, contestou a proposta anunciada pela prefeitura de Santana acerca do projeto de lei que cria a Guarda Municipal de Santana (GMS), encaminhada à Câmara de Vereadores pelo prefeito Ofirney Sadala (Avante). Segundo Nogueira, que foi vereador, prefeito de Santana e deputado federal, o projeto é oportunista, ilegal e impraticável.

Ofirney Sadala enviou ao Poder Legislativo municipal o projeto de lei que cria a Guarda Municipal de Santana, órgão que será responsável pela proteção do patrimônio público, policiamento preventivo, operações no trânsito, além de outras atribuições.

Segundo o texto enviado à Câmara, o ingresso na GMS será por meio de concurso público, com 20% das vagas destinadas às mulheres. O projeto também detalha a estrutura organizacional da corporação, que será regida por estatuto próprio.

A expectativa do prefeito é que a criação da Guarda Municipal seja aprovada ainda em 2020. A presidente da Câmara, Helena Lima (PRP), informou que não teve conhecimento do projeto, mas explicou que a primeira medida será analisar a matéria e encaminhar à Secretaria Legislativa para que seja colocada em pauta para leitura. Depois, o projeto tramita nas comissões, onde recebe os pareceres, e volta à presidência para análise, antes de ser levado a plenário para discussão e votação.

Segundo o presidente estadual do PT, o projeto de Ofirney Sadala é oportunista por estar sendo apresentado em período eleitoral, na tentativa de tirar proveito político; ilegal por estar criando despesa nova em pleno período eleitoral e, ainda, sem previsão orçamentária, ferindo de morte a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF); e impraticável porque, se o prefeito não está conseguindo pagar em dia nem os servidores efetivos da gestão, como irá pagar a folha da Guarda Municipal que é uma das mais altas, pois os sal&a acute;ri os dos agentes deverão ser equivalentes a de policiais militares em carreira inicial, com plantões e fardamento, além de viaturas e EPIs

“Uma ação dessas deve ser planejada pelo menos dois anos antes, para poder fazer as previsões orçamentárias devidas, com os cortes em outras áreas, e providenciar, previamente, a construção de prédio próprio e compra de viaturas, através de emenda parlamentar”, afirma Nogueira.

Segundo ele, a Guarda Municipal de Santana foi criada na Lei Orgânica Municipal no ano 2000, cuja proposta foi de sua autoria, quando vereador, cabendo, agora, a sua implantação, no momento em que for favorável econômica e orçamentariamente.

O que o prefeito quer, me parece, já sentindo que não vai se reeleger, por conta do grande desgaste junto à população santanense, é ficar para a história como o prefeito que implantou a Guarda Municipal de Santana, deixando o “pepino” para ser descascado por quem vier lhe suceder na gestão municipal. Esse é um ato irresponsável, ilegal e totalmente sem cabimento, num tempo em que devemos juntar todos os recursos possíveis para o combate ao coronavírus, e não criar despesas sem necessidade urgente, finaliza o petista.

Fonte: https://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/politica/partido-dos-trabalhadores-contesta-projeto-de-lei-que-pretende-criar-guarda-municipal-de-santana/

PC recupera lancha furtada em Santana e investiga ação de ‘ratos d’água’

Delegada Luiza Maia, da 2ª DP de Santana, comandou operação que recuperou lancha furtada no dia 10 deste mês na marina da Fortaleza, em Santana. Embarcação foi localizada na Ilha de Santana.

Uma operação integrada entre as polícias Civil e Militar, do município de Santana, distante 17 quilômetros da capital, resultou na localização de uma lancha que havia sido furtada de uma marina no Igarapé da Fortaleza, Região Metropolitana de Macapá, no dia 10 deste mês.

Segundo a delegada Maia, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Santana, que preside o inquérito, é a quarta operação de resgate de embarcações furtadas naquela região no mês de junho. A delegada diz que a ação dos ‘ratos d’água’ se intensificou, mas que a polícia tem trabalhado para identificar os criminosos.

fotos: PC Amapá.

Após uma minuciosa investigação, apoiada pelo delegado Danil D’Ávila, a polícia conseguiu a localização de onde supostamente a embarcação estava escondida. Com apoio de policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), sob comando do sargento Silva Santos, eles seguiram para um igarapé na Ilha de Santana, onde a lancha foi localizada.

A delegada explicou que o local é de difícil acesso e que os criminosos fugiram da área. “Localizamos a embarcação e percebemos que havia algo estranho no local. Decidimos fazer uma varredura no leito do igarapé e encontramos o motor que estava preso a uma corda. É uma prática para tentar esconder o produto do furto, mas logramos êxito na localização”, relatou a delegada.

Somente o motor recuperado está avaliado em cerca de R$ 60 mil. Agora, com a recuperação da lancha, a polícia vai trabalhar para identificar os ladrões e colocá-los na cadeia. A delegada apura se o furto dessa embarcação foi praticado pelas mesmas pessoas envolvidas nos outros crimes similares.

“Já temos alguns suspeitos, inclusive, nomes, mas nesse momento não vamos divulgar para não comprometer as investigações. Mas, certamente, será uma questão de tempo. É importante frisar que, além de ratos d’água, os envolvidos, possivelmente, integram uma facção. Após esses furtos, eles ligam para as vítimas exigindo pagamento para devolver o bem furtado. Os bandidos estão armados e prontos para o embate, mas vamos enfrentá-los e neutralizar qualquer tipo de ação contra o Estado [polícia] ou qualquer cidadão de bem”, alertou a delegada.

Imagens: Divulgação/PC

Profissionais do Hospital de Santana passam por testagem do Covid-19

O Governo do Estado do Amapá realizou na manhã desta terça-feira (02), mais uma ação de testagem rápida para covid-19 em profissionais de saúde, desta vez, no Hospital Estadual de Santana. Foram feitos 237 testes. 
A ação faz parte das medidas do Estado de atenção aos profissionais que atuam na linha de frente do combate à covid-19. Trata-se de uma trabalho contínuo. 
Dos 237 testes:
• 161 – testaram não reagente.  • 56 igG – fase que não apresenta risco de transmissão e já se encontra recuperado.  • 12 igM e igG – estágio inicial de recuperação.  • 8 igM – quando o paciente está na fase aguda. 
O farmacêutico da SVS, Giovani Mariano, avalia a ação de maneira positiva. 
“Tivemos um alto índice de pessoas com igG, que são os infectados que já criaram anticorpos contra o vírus. Isso é uma boa notícia, porque além do sistema imunológico deles combater o vírus, não apresentam mais sintomas, não transmitem mais, o que significa que podem voltar para ajudar os colegas de trabalho no combate ao coronavírus”, disse Giovani.

Av. Joaquina Silva do Amaral pede socorro

Os moradores do Novo Horizonte, na Zona Norte de Macapá, reclamam das condições da Av. Joaquina Silva do Amaral, que corta o bairro. O trecho entre as ruas Marabaixo e João de Deus está tomado pelo mato, que, em alguns pontos, chega a atingir 1,7 metro de altura, segundo afirmam os líderes comunitários da região.A via é uma das principais ligações entre os bairros Novo Horizonte e o Jardim Felicidade. De acordo com o líder comunitário João Ximenes, nos últimos 3 anos a vegetação foi tomando conta da via, impedindo o fluxo de veículos no trecho. A linha de ônibus Pedrinhas/Novo Horizonte que trafegava pelo local foi desviada para outra avenida.

O mato alto no local resultou no acúmulo de lixo e na proliferação de animais peçonhentos e pragas, segundo informou Luiza Souza, de 42 anos, que mora há 18 anos no bairro. A parte coberta pelo mato ao longo de 3 anos obrigou os moradores a construirem passarelas de madeira para o tráfego com segurança na área.Com essa situação fica difícil para a ambulância e a polícia entrarem por aqui. Os doentes têm que ser carregados até a parte asfaltada para poderem ir ao hospital”, conta a moradora, acrescentando que em alguns pontos o mato chega a ultrapassar a sua altura, de 1,65 metro.

Os líderes comunitários do bairro já solicitaram à Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur) a limpeza da via, porém, segundo eles, não houve resposta à solicitação.

Reportagem : Ryan Araújo

Santana entregue a urubus e ratos

Há exatamente 15 (quinze) dias, não estão fazendo a coleta de lixo no município de Santana a desculpa dada para tal fato que 60% (sessenta porcento) da equipe que cuida da limpeza pública está doente de Covid 19, a verdade e que a empresa ainda não teve o cronograma financeiro colocado em dia, o que impossibilita de manter seus serviços, pois sem o dinheiro fica difícil efetuar os serviços de coleta de lixo da cidade.

O que mais surpreende os moradores do município é a falta de satisfação do órgão incumbido de fazer a respectiva coleta de lixo, a cidade está ficando infestada de ratos e urubus, daqui a pouco para localizar Santana bastará olhar para o céu, onde tiver a maior concentração de urubus, estará nosso município.

Santana vive dias de abandono na área de saúde, infra estrutura rodoviária e agora coleta de lixo, em plena a pandemia como podemos enfrentar o COVID19 sem termos nem mesmo o direito a uma coleta de lixo? Fica a pergunta para a nossas autoridades municipais responder.

Sadala terá que indenizar ex-servidora demitida durante a gravidez

A ex-servidora, chamada de Iranilse da Silva Rodrigues, entrou com mandado de segurança alegando ato abusivo por parte do prefeito.

Ofirney Sadala, prefeito de Santana, terá que indenizar uma ex-servidora que foi exonerada no último mês de gravidez, em fevereiro de 2019. A determinação é da Câmara Única do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP). A ex-servidora, chamada Iranilse da Silva Rodrigues, entrou com mandado de segurança alegando ato abusivo por parte do prefeito. Iranilse alega, no mandado, que a prefeitura sabia que ela ficaria ausente por conta da gravidez, mas foi surpreendida com a exoneração antes do parto acontecer. Iranilse ocupava um cargo comissionado como gestora da Escola Municipal de Ensino Básico Gentila Anselmo Nobre. No mandado para a justiça ela exigia a reintegração ao cargo, ou indenização correspondente aos salários que deixou de receber até o fim da estabilidade, uma garantia de 05 meses estabelecida por lei.

A Constituição Federal assegura essa estabilidade para servidoras públicas, mesmo que em cargos comissionados, após o parto. O relator do processo, desembargador Manoel Brito, votou favorável ao pedido da professora e foi acompanhado, por unanimidade, pelos outros magistrados.

Mesmo ganhando Iranilse não sabe quando receberá, já que a decisão não fixa prazo para que o pagamento seja efetuado.

Adolescentes fazem 9 pessoas da mesma família reféns por mais de 3 horas, em Macapá

Grupo chegou a transmitir numa rede social onde apontava arma para uma criança de 8 anos. Após negociação, dois foram detidos e um fugiu.

Vejam:

Três adolescentes invadiram uma residência na noite de quinta-feira (28) no distrito do Coração, na Zona Oeste de Macapá. Eles fizeram reféns nove pessoas da mesma família. A polícia foi acionada e a negociação durou cerca de 3 horas.

De acordo com o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), vizinhos viram e denunciaram a invasão. A ocorrência foi atendida pelo 6º Batalhão da Polícia Militar (PM), Batalhão Força Tática e Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O Ciodes informou ainda que entre as vítimas estavam um bebê e uma criança de oito anos, que apareceram numa transmissão ao vivo sob a mira de uma arma, enquanto um dos adolescentes fazia exigências.

Durante a negociação as 2 crianças e uma senhora foram liberadas. Os adolescentes dispararam tiros que atingiram a vidraça da casa. Algumas vítimas tiveram cortes nos pés causados por estilhaços dos vidros.

Duas armas verdadeiras e uma de brinquedo foram apreendidas na operação — Foto: PM/Divulgação

Duas armas verdadeiras e uma de brinquedo foram apreendidas na operação — Foto: PM/Divulgação

Um adolescente conseguiu fugir levando joias e objetos no valor de R$ 10 mil, além de R$ 3,5 mil em dinheiro. Duas armas de fogo e outra de brinquedo foram encontradas. Os dois que ficaram na casa foram apreendidos e encaminhados para a delegacia da Polícia Civil.

De acordo com a PM, os envolvidos moram em área de alagado na região chamada Ponte da Moinha, no bairro Novo Horizonte, Zona Norte, e são apontados como autores de outros atos infracionais análogos a roubos e furtos.

A PM disse ainda que eles realizaram o delito a mando de uma facção de dentro do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá.

Fonte: https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2020/05/29/adolescentes-fazem-9-pessoas-da-mesma-familia-refens-por-mais-de-3-horas-em-macapa.ghtml