A MULHER ENVERGADA

(Lucas 13:10-17)

A primeira lição que se aprende nesse versículo é que ninguém que precise de socorro passará despercebido por Jesus Cristo. O Senhor a chamou e a quis curar. O Senhor tem poder para fazer tudo o quanto achar que deve ser feito, na hora que entender como adequada, em todo e qualquer tempo da história. Seja para o justo ou para o ímpio.

Jesus ensinava

Em Lucas 13:10, podemos observar que Jesus ensinava. Jesus não era um louco que apenas saía pelas ruas aos gritos dizendo ser o Deus encarnado, antes, baseado nas escrituras, também ensinava como os demais rabinos.

Jesus era um com eles, mas muitos não quiseram ser um com Cristo.

Mulheres nas sinagogas

Jesus agiu sobremaneira de forma a confundir os religiosos, pois naquela época às mulheres não tinham nenhum papel de destaque, tampouco poderiam ser percebidas nas sinagogas, devendo-as somente obedecer aos seus maridos e manterem-se caladas.

Não somente destacou uma mulher, como também a curou num dia dito como sendo para não trabalhar.

Os milagres de Jesus

Neste episódio, além de curar, Ele deixa claro para todos os presentes que curas e milagres não são trabalhos, são a misericórdia do Senhor se renovando aos que creem e acreditam que Ele é o filho de Deus.

Outro recado que Jesus nos deixa

O Senhor leciona até os dias de hoje, mantendo-se como o nosso mestre supremo de agora e por toda a eternidade. Cristo deixa claro que qualquer grau tortuoso que haja em nossa vida pode ser endireitado com apenas uma palavra que saia de sua boca. Não há homem (na junção dos gêneros) que seja capaz de permanecer o mesmo quando tem um encontro verdadeiro com o Unigênito de Deus.

Ele liberta

Jesus reforça para as testemunhas oculares e para nós que ELE liberta. O Senhor continua a libertar-nos dos mais sombrios cativeiros que possam existir. Doenças, vícios, maldições, assombrações… Cristo liberta!

Os milagres são o caminho para glorificarmos ao Senhor

Deus é glorificado em sua misericórdia. O Senhor é glorificado por suas obras, por quem Ele é. Deus é amor, suas misericórdias são um exemplo do seu amor. Nós como o motivo do Seu amor.

Repreensão aos hipócritas

Quantos de nós, após realizar alguma tarefa que beneficiou a um certo alguém, mas não trouxe mudanças aparentes na vida de outras pessoas não fomos oprimidos por eles? Todos já passamos por situações onde alguns tentaram nos envergonhar ou repreender por algo que segundo seus entendimentos era fora do normal? Assim aconteceu com Jesus, o dirigente da sinagoga, indignado, tentou agir dessa maneira quando afirmou que haviam seis dias para que aquilo fosse realizado, mas que no sábado não era o momento. Mas Jesus o ensinou; ensinou ao hipócrita que se ele pode dar de beber ao seu rebanho (isso sim um trabalho), por que Ele não poderia curá-la? Veja, DEUS AGE COMO QUER, QUANDO QUER E NA HORA QUE BEM ENTENDE. NÃO HÁ TRADIÇÃO OU RELIGIOSIDADE CAPAZ DE FREAR O AMOR O DEUS.

A presença do Senhor é alegria para o povo

Ele não só cura como também traz vergonha aos seus adversários e alegria aos que o Adoram. Adoremos ao verdadeiro e único Deus. Adoremos àquele que veio e tornará a vir para novamente estar entre nós. Esperemos, pois certamente ELE vem e não demora!

Mário Fascio – Presidente da IVPD

PROSPERIDADE

Todo ser humano deseja prosperar, alcançar coisas grandes e se orgulhar ao final de sua vida por tantos feitos, por se sentir vivo e útil. Mas até onde a prosperidade é saldável? De qual prosperidade você acredita ser dependente? Prosperar deve ser levado em consideração quando vem acompanhada da presença do Senhor em nossas vidas. Quando nossa existência é útil para o Reino toda e qualquer prosperidade fará sentido, todavia, não se concentra à prosperidade em tesouros, em riquezas neste mundo, pois de acordo com o que diz a palavra de Deus, “aonde estiver o seu tesouro, lá também estará o vosso coração” (Mateus 19:21). Palavras que nos servem de alerta para que saibamos exatamente o que fazer com os recursos que nos vierem às mãos.

O que é prosperidade?

No dicionário da língua portuguesa, a palavras prosperidade significa “estado do que é ou se torna próspero; grande produção de alimentos e bens de consumo; abundância, fartura”.

Já ouvimos falar sobre “grande produção de alimentos”, não é mesmo? José foi usado por Deus para, no Egito, manutenir os mantimentos naquela terra, mesmo tendo ela sido devastada por um período de seca, como previsto através dos sonhos do Faraó. Deus permitiu tempos de abundância para que houvesse sustento nos momentos de escassez. Já se perguntou o motivo por você ter tanto agora? Ou o porque de haver tão pouco em sua mesa nesse exato momento?

Fato é que, independentemente de como esteja a sua vida nesse exato momento, a fartura ou a escassez é algo extremamente palpável e pode lhe alcançar a qualquer momento.

A prosperidade pode ser tanto de alimentos em abundância quanto simplesmente pela bênção de estar sendo guiado por Deus em meio a um deserto (êxodo 13:21).

Não há pecado em querer ter, mas há discordância à luz da Bíblia quando ter implica no que é SER.

O que diz à Bíblia a respeito da prosperidade?

É desejo do Senhor que sejamos prósperos, afinal de contas, Ele não nos colocou aqui para mendigar o pão, entretanto, também não nos trouxe para este mundo para que tivéssemos riquezas e nos esquecêssemos de quem nos concedeu tudo o que possuímos (Deuteronômio 8:19).

Em Salmos, no capítulo 35, versículo de número 27 deixa claro o quanto Deus ama ver a nossa prosperidade, o nosso bem-estar. Porém, logo que vemos o versículo 28, é possível perceber o salmista deixando mais do que claro que, a pesar de Deus se orgulhar e se sentir feliz em nos ver prósperos, fica evidente que tudo isso deve ser acompanhado de profunda gratidão e exultante louvor ao nosso Pai. Pois conforme a última passagem citada declara “e assim a minha língua falará da tua justiça e do teu louvor todo o dia”.

Perceba que não há erros, conforme dito no início, em ser prospero, mas a deficiência em prosperar sem a companhia de Cristo, sem estarmos em sua presença, certamente é algo que destruirá a todos nós. Não há como viver acreditando que somos autossuficientes. É impossível, ainda que com toda a riqueza do planeta, estar completo sem que haja o preenchimento do Seu amor em nossas vidas, em nosso dia a dia.

Determinantemente, é impossível viver longe do amor de Jesus.

O cristão e a prosperidade

Esse tem sido um tema bastante debatido em igrejas e fora delas nos últimos tempos. Como ficam os cristãos em meio à prosperidade?

O Senhor se alegra em buscarmos insistentemente riquezas e preenchimentos de prazeres egoístas? Como o Pai nos olha?

Como bem vimos acima, Deus não nos condena por prosperarmos, pelo contrário, Ele se alegra e é exatamente sua Pessoa quem nos abençoa e nos faz prósperos.

Então, qual o motivo por este tema ser tão polêmico e causar tantas discórdias no meio eclesiástico? Qual é o exato problema em se ter?

Ter e não saber o que fazer com o que se tem, ou simplesmente ter e fazer uso dessa ferramenta não de maneira sadia, antes, tornando-se escravo do próprio crescimento e das consequências que essa condição lhe trouxe. Lembra que nas escrituras está declarado que onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração? Pois é. O que você tem te torna escravo? Sua condição te arrancou dos pés da cruz? Sua conta bancária, suas casas, carros, iates e tantas outras riquezas te fizeram esquecer quem lhe deu tudo isso?

Se tudo o que você tiver de valioso seja o que o dinheiro pode comprar, sinto informar que não há tesouros plausíveis, capazes de te garantir uma passagem para os céus ao encontro do Redentor.

O erro não estar em ser cristão e prosperar, a falha começa quando não entendo a minha condição de cristão. Quando não lembro que o “ide” é mais importante do que o “vinde”, perdi a essência do cristianismo e esqueci dos ensinamentos dAquele que me tornou um cristão, ou seja, de quem se deu em meu lugar para que eu pudesse ser um imitador de sua conduta, para que eu fosse um “minicristo”.

É errado prosperar?

De maneira alguma! É errado aceitar ser apenas mais um, quando de certo você não foi criado para ser mais um. Calma! Todos nós somos apenas “mais um”, mas quando nos entregamos a Cristo e a sua obra, somos “mais um a serviço”, somos MAIS UM SOLDADO no fronte!

Sua vida precisa fazer sentido, e para que isso é preciso trabalhar. É preciso produzir.

Produz-se tanto para seu sustento quanto para o Reino. Produz-se de acordo com o que fomos chamados para cultivar.

A bíblia nos exorta que não devemos ser preguiçosos (Provérbios 21:25). Logo podemos perceber que não sendo preguiçoso, a prosperidade é algo natural. Quando se trabalha, é normal que haja prosperidade, que haja provento.

Em sua palavra, Cristo revela que antes devemos buscar o Reino de Deus e todas as demais coisas nos seriam acrescentadas (Mateus 6:33). Ele elucida de forma simples que NADA iria nos faltar que se decidíssemos buscar a sua glória, a sua face. Ele indica que se cuidarmos do que é dEle, Ele cuidará do que é nosso.

Nossa vida não faria sentido se apenas buscássemos prosperidade para nós mesmos. Deus nos faz prosperar para que através das bençãos que recebemos, pudéssemos ser bençãos em outras vidas (Mateus 25:35-45).

Nossas riquezas não são nossas, jamais serão, pois somos visitantes por aqui. O que aqui conseguirmos, aqui ficará. Prospere, prospere muito! Prospere tanto que tudo o que você conquistar seja instrumento indiscutível de auxílios aos pequeninos do Senhor.

Prospere, tenha carro, casa, lazer e diversão. Tenha conforme para oferecer à sua família. Tenha tudo, inclusive compaixão aos que nada tem. Ajunte todos os seus tesouros nos céus. Ajunte toda a sua fortuna (mesmo que seja R$10,00) para as coisas do reino.

Portanto, não há erro algum em prosperar, desde que seja para se tornar útil na vida de outras pessoas.

Se prospero, o mérito é exclusivamente meu?

Nem mesmo a sua vida é exclusiva sua, menos ainda de seus pais – que lhe geraram – pois se isso aconteceu foi graças as misericórdias de Deus.

Há sim mérito seu. Seu esforço te levou a lugares altos. Suas noites em claro, seus dias alongados, suas 24h que não eram suficientes… tudo isso te fez chegar mais longe, tudo isso cooperou para que a prosperidade chegasse ao teu lar.

Não se engane acreditando que tudo quanto você fizer ou tenha feito lhe garantirá prosperidade, condições diferenciadas dos demais de sua vizinhança. Antes, jamais se esqueça de que “nenhuma folha cai da árvore sem que haja a permissão do Pai”. Portanto, “Os olhos do Senhor estão em toda parte, observando atentamente os maus e os bons” (Provérbios 15:3).

Nada sai do controle do nosso Deus (Lucas 21:18). É Ele quem diz quando e se vamos prosperar. É Ele quem nos dá as condições que acreditamos ser exclusivas do nosso ser para lutar em prol daquilo que almejamos.

Você nunca conseguirá um passo sequer sem que haja a misericórdia do Criador.

Se você prosperar ou não, nenhuma das duas situações será mérito exclusivo seu.

O alívio que você espera, seja financeiro, de saúde ou de qualquer natureza pode estar distante, pode demorar mais um dia, um mês ou trinta anos, ainda assim, saiba que há tempo para todas as coisas debaixo dos céus (Eclesiastes 3:1-2). Não se desespere!

Prosperidade

Pelas igrejas ou fora delas, a palavra que dá título a esse vídeo tem sido o verbo da moda. Quem não deseja ser alguém importante e de posses? Eu desejo, você deseja, todos desejamos e, não há pecado nisso, pois devemos lembrar que não fomos criados para sermos criaturas irrelevantes.

Para finalizar, a prosperidade é algo permitido e feita pelo próprio Deus. Tudo que aqui há foi criado para o nosso deleite. Tudo quanto recebermos deve ser encarado como prosperidade. Um pedaço de pão é a prosperidade de quem não tem o que comer. A conquista do primeiro emprego é o presente próspero daquele jovem que desejava ingressar no mercado de trabalho. A mesa posta e rica em alimento é a prosperidade de um pai batalhador.

Tudo é prosperidade! A MAIOR DE TODAS AS PROSPERIDADES TEM UM NOME: VIDA COM CRISTO!

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD

Levanta e Resplandeça! (Isaias 60:1)

Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti;

Há promessa nessas palavras e uma ordem direta do Senhor: Israel, levanta-te e resplandece, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. Mas o que isso quer dizer?

Transporto-me a um tempo em que ouviria essas palavras e seria um espectador da grandeza e maravilhosa glória do Senhor vindo sobre a terra dos seus filhos, da sua criação. Deparo-me agora, contemplando a maravilhosa graça do Senhor com a Nova Jerusalém descendo dos céus para que tenhamos uma nova vida, um novo corpo, uma herança eterna.

O trono de Cristo está no meio da cidade, e sua glória alumia todo o mundo. De lugares distantes é possível admirar o seu resplandecer.

Poderíamos muito bem contemplar essa passagem desta maneira, mas ao lermos todo o capítulo, percebemos que é de fato uma promessa, mas uma promessa para tempos que antecederiam o retorno do Messias. Tempos que ao pegarmos a história da humanidade, já aconteceram e seguem acontecendo nos dias contemporâneos.

Parte da promessa se cumprindo: Levanta-te!

O movimento histórico conhecido como Sionismo (ocorrido com o retorno de milhares de judeus para Israel – ainda território palestino) talvez seja um interlúdio da promessa contida em Isaias 60.

O movimento migratório em questão durou até o final dos anos 30, do século XX. Àquela ocasião, o território era ocupado por árabes, o que gerou diversos conflitos entre judeus e palestinos – algo impensado quando lemos a palavra e as promessas de Deus para com Abraão.

Resplandece, por que vem a tua luz

Em 1948, Israel se torna um Estado, em outras palavras, passa a ser notado por toda a humanidade. Israel resplandece e renasce. E sabe o que é mais interessante quando examinamos a história dos homens? Um brasileiro foi o responsável por aprovar a Resolução 181, que decretou a formalização de Israel. Trata-se do então presidente da Assembleia Geral da ONU, o senhor Oswaldo Aranha – que Deus o abençoe imensamente. A ele e a seus descendentes!

A glória do Senhor vai nascendo sobre ti

Lembre-se, estou analisando à luz dos homens essa primeira passagem, e quando penso em “a glória do Senhor vai nascendo sobre ti”, imagino Israel ganhando destaque e sendo aos olhos da terra, um lugar abençoado e próspero; uma terra que de fato emana leite e mel!

Segundo a Agência Brasil, apesar dos conflitos que fazem parte da história e do cotidiano da região, Israel conseguiu se estabelecer como uma democracia estável, e tem a economia mais desenvolvida da região, com um PIB de cerca de 318 bilhões de dólares.

Peço que não entenda como riquezas materiais sendo a glória do Senhor nascendo sobre quem quer que seja, porém, seria inevitável como um Estado, uma Nação, não se destacar no sentido do desenvolvimento financeiro.

Além de tudo isso, Israel se destaca por suas mentes brilhantes e suas vitórias contra exércitos infinitamente maiores e mais poderosos.

Entenda o momento em que Isaías profetizou tais palavras

Os tempos eram difíceis para o povo, Israel estava sob opressão da invasão de Jerusalém pelos exércitos do rei da Assíria.

A princípio, Isaías poderia ser até taxado de louco por homens do exército inimigo, mas Deus estava usando aquele homem para que através dele todo o povo pudesse se encorajar e enfrentar aquele momento de grande adversidade na história de Israel, que por sinal, tem dezenas de milhares de momentos tenebrosos. Culpa de Deus? Não, culpa de um povo escolhido para ser o refrigério de um mundo caótico, sendo na verdade, contagiado por este caos.

Jesus se encaixando nas palavras de Isaías

Jesus veio para salvar e redimir todo aquele que havia se perdido, pois já não era possível enxergar a Deus, sobretudo, ouvir a sua voz. Nós estávamos em declínio constante, caminhando a passos largos para o lago de fogo, e então Cristo LEVANTA de seu trono e se faz o Emanuel, resplandece para toda a humanidade e traz consigo a luz da glória do Pai que nasce sobre todos os homens, essa luz era o véu se rasgando e o Filho de Davi afirmando: Está consumado!

Caminhe comigo pelo capítulo 60

E os gentios caminharão à tua luz, e os reis ao resplendor que te nasceu. (v. 3)

Veja que Isaías, ainda que pudesse falar a respeito de outras situações, apontava para Cristo. Qual resplendor que ao nascer de Israel, fez gentios e reis caminharem em sua direção? É impossível, amado irmão, acreditar que o Velho Testamento (como muitos apregoam) não é parte importante ou que já não se faz necessário o seu uso em conjunto com o Novo Testamento.

Acredite, creia, entenda: toda a bíblia aponta para um mesmo personagem, Jesus Cristo, o Messias filho de Deus. Não há como duvidar de algo que é claro e evidente. É impossível acreditar, como muitos intelectuais de araque, que esse livro é apenas um aglomerado de outros pequenos livros, de um povo de imaginação fértil.

As promessas no século XX

Como é bonito enxergar não somente na bíblia, em histórias onde o povo voltava caminhando feliz do exílio na babilônia, mas contemplar o cumprimento das palavras do Senhor em tempos próximos ao nosso. Em 1948 Israel olhou em redor e viu, como diz o verso 4 do capítulo 60, no livro de Isaías, seus filhos voltando de longe e suas filhas tornando a serem criadas ao seu lado, nos seus seios. É de maravilhar poder presenciar a história acontecendo. Ainda, seguindo adiante, no versículo seguinte, não consigo resistir à euforia quando leio “então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alargará; porque a abundância do mar se tornará a ti, e as riquezas dos gentios virão a ti.” Vejo, ainda que teologicamente possa ter outra explicação e análise a abundância do mar tornando a Israel como sendo seus filhos regressando ao lar de outrora. E as riquezas dos gentios sobrevindo junto a eles nas embarcações. Note, muitos vieram de outros continentes em embarcações, enquanto muitos em voos, conforme podemos ler ao verso 8: Quem são estes que vêm voando como nuvens, e como pombas às suas janelas?”.

A mão forte do Senhor sobre Israel

Você ainda tem dúvidas de que Israel é a menina eleita do Senhor? Ainda crê que de lá não nascerá um novo sol capaz de conduzir o mundo ao prumo que necessita estar?

Veja o que diz na parte 12 do mesmo capítulo: “Porque a nação e o reino que não te servirem perecerão; sim, essas nações serão de todo assoladas.”

Como odiar a quem Deus ama? Como ter prazer em ferir a quem Deus cuida?  Amigo, eu amo Israel. E não o amor por medo do que Deus possa fazer a mim, antes, sou apaixonado pela nação de Israel em decorrência de tudo o que Deus ainda opera à humanidade a partir daquele lugar.

Eu amo Israel porque foi de lá que o Messias me salvou. Foi de lá que Deus teve compaixão para com um mundo perdido e sem maiores ascensões. E é de lá que Cristo reinará para todo o sempre e será adorado como o Rei dos reis para toda a eternidade.

Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti;

Ande, faça-se notável, pois há uma iluminação da glória do Senhor nascendo por sobre a sua vida. Não, isso não significa que haverá facilidades para você, tampouco que sua conta bancária está repleta e recheada de zeros. Isso significa que a partir da sua vida, as bênçãos liberadas dos céus caminharão em direção a outras vidas que necessitam do agir e intervenção de Deus. Noutras palavras, levantar-se, deixar ser visto por Cristo e caminhar com a luz da sua glória sobre sua vida, significa ser servir, antes de ser servido.

Amigo, Isaías pode estar falando a respeito da sua vida no primeiro verso de um capítulo incrível. Deus te chama a levantar-se e resplandecer, pois sobre ti a luz e a glória do Senhor querem nascer. É sobre essa pedra que Cristo deseja edificar a sua igreja, assim como fizera com Pedro.

Não tenha medo de aceitar o alistamento proposto por Yaveh. Aceite o que Ele tem a lhe oferecer, pois certamente você será recompensado com a maravilhosa benevolência do Senhor sobre a sua vida.

Servir a Deus não significa que você está liberto do sofrimento, mas te garante conforto em meio às lágrimas caídas dos seus olhos. Não recue ao chamamento do Senhor, não retroceda ao grave da voz do redentor invocando: “LEVANTA-TE!”

Irmãos, se foi Cristo quem mandou, faça como Josué, não temas. Pois de certo que os muros de Jericó cairão ao soar das trombetas e o marchar de um exército forte e poderoso vindo das regiões celestiais em teu socorro. Não temas, não temas e não recue. Levanta-te e resplandeça em prol de um porvir sob a Nova Jerusalém que descerá do céu, diretamente do trono celestial daquele que nos deu o sopro de sua vida.

Graça e paz!

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD

ANA PRECISANDO DE UM MILAGRE

Ana

Quantos de nós não suplicamos pelas providências do Senhor em nossas vidas? Todos ou ao menos grande parte da humanidade acredita que o milagre é parte essencial para provar a existência de um Deus que não precisa provar nada a ninguém. O Deus criador de tudo que há entre nós, o doador do sopro da vida, o Deus de eternidade a eternidade, a quem devemos honra e reverência não necessita provar quem Ele é. Mas ainda assim, sem obrigação alguma, Ele nos indaga em sua palavra: “Provai e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.” (Salmos 34:8)

Ana provou, e não simplesmente provou; àquela mulher viu a bondade do Senhor em sua vida. Ela foi bem-aventurada, pois confiou no Senhor, o Deus de seu marido.

O que é milagre para você?

Que a vida de Ana foi um milagre nas mãos de Deus, isso é indiscutível para todo aquele que conhece sua história e o que Deus fez a partir das orações daquela mulher. Deus não somente a honrou, como fez do resultado de suas súplicas um valioso instrumento dos céus aqui na terra.

Mas e para você, o que é milagre? Naquele momento era Ana precisando de um milagre, mas hoje pode ser você ou alguém que você conheça. Então responda para si mesmo o que é milagre em sua concepção. Seja sincero e veja o que sua resposta diz à sua mente. Lembre-se, Deus não é um serviçal a nossa disposição em todos os momentos; filtre seus pedidos e suas necessidades.

Para mim, milagre é tudo aquilo que vai de encontro ao propósito de Deus. É quando o homem pede aquilo que não vai tão somente satisfazer a sua existência, antes servirá como um alívio para sua caminhada, junto é claro, de um plano maior do Senhor. Em outras palavras, milagre é algo que acontece com você para atingir outras vidas. É a rua que se abre em direção à estrada da salvação chamava Jesus de Nazaré, o único digno de abrir o selo.

Podemos usar diversas passagens da bíblia que servem como base para provar que o milagre é algo que deve acontecer na vida do homem para glorificar o nome do Senhor, a saber: João 9: 1-3. O milagre acontece para que através deste feito seja percebido o poder de Deus na humanidade.

Quem foi Elcana?

Elcana foi um homem da cidade de Ramataim-Zofim, região montanhosa da tribo de Efraim. Este homem teve duas mulheres que se chamavam Ana e Penina – prática bem comum naqueles tempos e que perdura até os dias de hoje em algumas regiões do Oriente Médio.

A bíblia nos conta em 1 Samuel, a partir do capítulo 1, que este homem subia todos os anos para adorar e oferecer sacrifícios ao Senhor na cidade de Siló. À Penina e seus filhos e filhas, ele dava uma porção de sua oferta, mas à Ana, por ser amada, ele dava porção dupla (versículo 5).

Perceba que Elcana, homem que seguia algumas das tradições daquele tempo – ora, afinal ele coabitava com duas mulheres – amava mais a Ana que Penina, mesmo Ana sendo estéril. Essa é uma das grandes lições que tiramos da história dessa valorosa mulher: devemos amar, ainda que isto implique em não receber absolutamente nada em troca. No caso daquele homem, um filho vindo do ventre da mulher amada!

Penina: alguém cujo coração não está em Deus

Quantos de nós não recebemos palavras diárias de pessoas descrentes de Deus que, ao ver nosso sofrimento e luta questionam-nos: “onde está o seu Deus?”

Todo aquele que serve ao Senhor serve de zombaria para o próximo. Todo aquele que espera no Senhor, enfrenta momentos de humilhação e provocação. Assim foi com Ana perante sua rival, Penina (1 Samuel 1:6).

Imagina para uma mulher nos tempos bíblicos não ter a capacidade de procriar? Era algo humilhante, era como não ter nenhuma serventia e, para alguém que tinha de dividir a atenção do marido com outra, era como um prato cheio de cólera e sarcasmo.

Posso imaginar em um domingo após mais um culto, aquela irmã que olha para a outra irmã com olhar de inveja e solta: olha lá, já vai a solteirona novamente pra casa. De que adianta ser amada por Deus se não tem como retribuir todo esse amor? Forte, não é mesmo? Mas talvez Penina pensasse exatamente assim de Ana em sua relação com Elcana: “Olha lá, ali está a mulher vazia. Amada por Elcana, mas incapaz de corresponder a esse amor. Mas eu não, eu correspondi às suas expectativas – lhe dei filhos e filhas.”

A irmã da igreja assim como Penina, só não poderia imaginar que Deus não precisa de correspondência para amar alguém, tampouco Elcana necessitava de um filho para ser completamente apaixonado por Ana.

Mais vale um amor sincero que um gostar trocado por migalhas de “presentes” por obrigação.

Ana precisando de um milagre

Ana não queria um milagre para fazer daquela situação algo de sua posse. Ana queria um milagre para fazer valer a sua existência. Ana queria se sentir útil e retribuir o amor de seu marido.

Mas posso ir além, pois a partir do versículo 9, podemos perceber que ali estava muito mais que um pedido em prol de si mesma. Ali Ana dizia naquelas orações: “Deus, sei que o Senhor não tem obrigação de me conceder nada do que eu pedir, mas olhe pra mim, olhe para essa mulher angustiada que a tristeza tem acometido dia após dia, que tem servido de escárnio para uma mulher que pensa ser melhor do que tua serva por ser capaz de dar à luz. Faz de mim alguém capaz de gerar uma vida, não para a minha glória, mas para que o teu nome seja glorificado e visto como o nome sobre todo nome.”

Ana confiou que Deus poderia não somente lhe dar um filho, mas que Ele próprio daria a resposta à Penina. O próprio Deus diria através do milagre de Ana: “Eu, o Senhor da vida de toda a humanidade, permiti o milagre na vida desta mulher para lhes provar que EU FAÇO PELO HOMEM, EXATAMENTE AQUILO QUE ELE JÁ NÃO TEM A CAPACIDADE DE FAZER.” O nome disso é milagre. Deus opera milagres para engrandecer ao seu nome. Somos apenas o canal.

No versículo 8, do mesmo capítulo, Elcana pergunta a Ana o motivo pelo qual ela chorava e emenda lhe questionando se ele não poderia ser melhor para ela do que dez filhos. Aquele homem certamente amava a Ana.

A ousadia de Ana

Ana ousou, e podemos observar tal ousadia em 1 Samuel 1:11, quando fazendo um voto com o Senhor, lhe promete que se a partir dela nascesse um varão, ele seria oferecido a Deus por todos os dias de sua vida e que navalha alguma passaria sobre a sua cabeça.

Que ousadia! Que prova! Que confiança!

Quantos de vocês teriam tal coragem?

Você seria capaz de pedir a Deus algo que tanto deseja e simplesmente, no ato da conquista, devolver ao Senhor em forma de gratidão?

Difícil imaginar, não é verdade? Caramba, eu tanto quis, tanto fiz, e agora devolvo para aquele que me presenteou? Presente não se devolve, não é verdade?

Ela não somente orou, mas no meio de sua súplica, precisou ouvir de Eli, o sacerdote, que ela estava bêbada por apenas mexer os seus lábios, sem que dali saísse som algum. Quantos de nós no processo de oração não passamos por pré-conceitos, por momentos em que diversas pessoas nos dizem que deveríamos nos afastar de Deus?

Quem foi que disse que servir ao Reino é tarefa fácil?

Ana ainda teve tempo de explicar a Eli, leia do versículo 15 ao 18. Ana não somente explicou, mas recebeu do sacerdote uma palavra de ordem, algo que profeticamente, entendendo o contexto da situação, poderíamos dizer que era o próprio Deus confirmando a aceitação das súplicas de sua serva: “Vai em paz e o Deus de Israel te conceda o pedido que lhe fizeste.” (V17)

O milagre nasce e é chamado: SAMUEL

A bíblia diz que eles voltaram para casa, em Ramá, e então Elcana coabitou com Ana. Naquele instante o Senhor se lembrou dela  e lhe concedeu o desejo de seu coração: ela já não mais seria o motivo das risadas de Penina, agora seria alguém ativa no reino. Ela seria a mãe do profeta que um dia ungiria o rei de Israel – a raiz de Cristo no mundo.

Ana não sabia, mas aquele pedido era exatamente o que Deus estava esperando para trazer ao mundo um grande homem.

Quantos de nós não pedimos algo que não acrescentará absolutamente nada ao reino, não é verdade? Deveríamos deixar de lado nossas particularidades e os bel-prazeres passageiros deste mundo e suplicar aos céus aquilo que pode mudar a história de um povo, de uma cidade, de uma rua ou de uma família.

Você acredita em milagres? Ana acreditou, confiou e teve a resposta para aquilo que tanto amargurava o seu coração: podem zombar da tua vida ou dizer que para nada você serve, mas a última palavra vem do Senhor.

Acredite em milagres! Creia que Ele pode mudar a tua história, sobretudo, creia nos milagres que mudarão vidas alheias através da estrada de bênçãos que Deus quer inaugurar em você.

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD – Igreja Virtual Povo de Deus

Com 21 votos contra o afastamento; Alap devolve mandato à Alberto Negrão

Deputados chamaram de “arbitrária” decisão do Juiz do Tribunal Regional Eleitoral, Rivaldo Valente Freire, que afastou o parlamentar

Em sessão histórica, a Assembleia Legislativa do Amapá, Alap, devolveu, por um placar elástico, o mandato ao deputado Alberto Negrão, que foi alvo da operação “Terça Parte” da Polícia Federal semana passada. As acusações da PF são de que o parlamentar comandava um esquema de “rachadinha” dentro da Alap.

Na sessão, que contou com a presença de 22 parlamentares, dos quais somente um votou contra, o deputado Paulo Lemos, do PSOL, e os demais votaram por cassar a decisão do Juiz do TRE Rivaldo Valente, por entenderem que houve excessos por parte do Magistrado.

O advogado do deputado sustentou não haver norma jurídica que justificasse a manutenção do afastamento cautelar do parlamentar.

“Parlamentares desta casa de leis também já passaram por isso, tiveram sua vida devastada e depois foram inocentados. Não há norma jurídica que justifique o afastamento do parlamentar, ainda mais quando isso se realiza a seis meses depois da eleição” argumentou o advogado.

Apenas um parlamentar não participu da sessão, o deputado Charly Jone. 22 Parlamentares foram contra o afastamento, são eles:

Aldilene Souza; Allyny Serrão; Cristina Almeida; Diogo Sênior; Edna Auzier; Dr. Victor; Jaime Perez; Jesus Pontes; Jory Oeiras; Júnior Favacho; Kaká Barbosa; Luciana Gurgel; Marília Góes; Max da AABB; Pastor Oliveira; Paulinho Ramos; Raimunda Beirão; Telma Gurgel; Telma Nery e Zezinho Tupinambá.

Foi a favor do afastamento apena 1 parlamentar; o deputado Paulo Lemos. 

Abraão o pai da fé

Prefácio

Para começarmos, faço a você, a quem me assiste, uma simples pergunta: Teria você coragem, mas aquela coragem abrasadora, de aceitar ser tocado por Deus, de uma forma nunca antes vista, modificando à sua maneira de viver que conta com determinados luxos, te levar a uma terra distante, e ainda, após tudo isso, ter o seu nome mudado? A mudança de nome é muito mais que simplesmente um rebatismo social, é a mudança de caráter e personalidade.

A galeria (Hebreus) dos heróis da fé está cheia de homens que decidiram pelo toque magistral do Todo-poderoso e, dessa maneira, suas vidas nunca mais foram as mesmas. Sabe qual nome se dá pra esse “fenômeno”? Fé.

Abrão (Gênesis 12)

Abrão foi chamado por Deus a deixar a casa de seu pai aos setenta e cinco anos, levando consigo seu sobrinho Ló e tomando para si Sarai como sua esposa. Ali iniciou-se a saga deste homem que até os dias atuais nos encoraja quando falamos de fé.

Quando ainda era Abrão, o SENHOR já lhe havia prometido que o faria grande nação, abençoando e engrandecendo o seu nome. Ou seja, não é preciso que você já tenha passado pelas mãos do oleiro, basta que, mesmo ainda não sendo a pessoa que Deus visualiza, você tenha a coragem de ouvir a sua voz e aceitar o seu chamado.

Entenda que quando Deus engradece o nome de um homem, não é para que haja soberba em seu coração, antes, é uma forma de mostrar ao mundo, ainda que de maneira diminuta a glória do próprio Pai celestial.

Deus cuida dos seus filhos (Gênesis 12:10)

Abrão ainda edificou um altar para o Senhor na cidade de Ai, após, caminhou até a terra do Egito, para ali peregrinar.

A vida de Abrão não foi das mais fáceis naquelas terras, talvez já indicando o que aconteceria ao seu povo anos a frente, durante 400 anos de escravidão (por terem se distanciado do Criador – é importante que isso seja dito).

Abrão pede que Sarai, por ser mulher formosa e, sabendo que os homens daquele lugar viriam até ela, minta a eles dizendo ser sua irmã, assim ele poderia ir bem por causa dela. (Gênesis 12:14).

O Pai da fé talvez ainda não tivesse total conhecimento acerca do Deus que o guiará.

De certo o rei do Egito fez bem àquele homem, dando-lhe ovelhas, vacas, jumentos e servos (mas pela obra do medo, diferente das promessas que Yaveh o havia feito), entretanto, por conta de Sarai o SENHOR feriu ao Faraó e a sua casa, conforme vemos nos versículos 17 a 20, onde então o primeiro daquela terra compreendeu quem era aquele homem, homem protegido pelo Sobrenado do universo. Com a ordem de ir, partiram dali Abrão, sua mulher e tudo quanto o tinham.

Compreendemos a partir de então que quando Deus age, não há quem possa impedir. Bem como, quando Deus promete, não há benevolências nessa terra que são capazes de suprir ou se comparar.

O Filho da Promessa (Gênesis 13:14)

(Leia também Gênesis 15 – aliança de Deus com Abrão)

Deus ordena que Abrão levante os olhos e o promete toda aquela terra por herança, a ele e sua descendência.

Entendamos que, a partir de Abrão, várias nações foram constituídas, todavia, tão somente a nação de Israel foi a eleita, através de Isaac.

A origem de um povo paralelo ao da Promessa (Gênesis 16)

Por ver que não dava filhos a Abrão, sua mulher então pede que ele se deite com sua serva, Agar, a quem lhe dá um filho por nome de Ismael. Vendo Sarai que havia sido desprezada por sua serva, confessa a seu marido que dá Agar em suas mãos.

Agar foge, mas um anjo do SENHOR a encontra no deserto e diz que ela dará à luz a um filho, a quem sobremaneira multiplicará a sua descendência, e será este homem feroz e sua mão será contra todos, e mão de todos contra ele, habitando diante da face dos seus irmãos (o povo Árabe nasce a partir de Ismael).

Observe, desde a teimosia de Sarai, quando não soube aguardar a promessa do Senhor, há contenda entre Árabes e o povo santo escolhido por Deus, Israel. Mas é preciso compreender que, todos os povos da terra são descendência daquela família, sobremaneira, deveríamos todos festar, e alegrarmo-nos como uma grande família, entretanto, pela busca de poder, o fanatismo e o distanciamento cada vez maiores da casa do Pai, o mundo morre a cada novo dia no maligno.

Circuncisão – sinal da aliança

Em Gênesis 17, podemos observar que Deus diz a Abrão que este deve circuncidar-se como forma do sinal da aliança entre Deus e homem. A partir desse marco não mais seria Abrão, mas sim Abraão, pois por pai de muitas nações havia sido posto.

O Senhor prometera a Abraão em possessão perpetua toda a terra de Canaã, a ele e a descendência após ele.

No versículo 8 do mesmo capítulo, podemos observar que o Senhor prometeu dar a terra de Canaã para o povo que viria após Abraão, não após Abrão, porquanto aquele homem já não mais existira. E ainda, vale ressaltar que a promessa envolvia também a Sara, a quem essa sim, ele tomou por sua mulher e a fez sua família. Assim, entendemos que não há motivos para que o povo Árabe reivindique as terras de Israel como se fossem por direito suas. Nunca houve uma terra chamada Palestina naquele local.

O filho da promessa e o os sonhos de Deus (Gênesis 18)

Deus cumpre a promessa feita a Abraão, dando a ele o filho de sua promessa, o segundo patriarca, pai de Israel. A partir de então, Deus tem provado e aprovado a Abraão. Deus fez deste homem o espelho para o que haveria de acontecer, mas que ainda estava nos planos celestiais. Deus pede a Abraão seu filho em sacrifício, mostrando ao mundo o que faria por nós, ao dar o seu único Filho em pagamento pelos nossos pecados.

Podemos observar de duas maneiras o pedido de Deus:

  1. Mostrar ao mundo que Ele sim daria o seu único filho por amor a nós, mas não tomaria em sacrifício o filho do seu servo para que entendesse o amor e a obediência que este tinha para seu Senhor.
  • Informar à humanidade que quando se coloca a vida de um filho no altar, Ele abençoa e toma em suas mãos a descendência daquele que foi fiel ao seu chamado.

Portanto, Abraão é dito como o pai da fé por ter entendido que, mais valia peregrinar em busca de alcançar as promessas de Deus que se manter em uma terra pecaminosa, usufruindo de tudo que tinha, quando não era tudo aquilo vindo das mãos de Deus.

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD

Como interagir com o Espírito Santo?

Como podemos interagir com alguém que não podemos ver, tocar ou simplesmente ouvir com os ouvidos humanos?

Parece loucura quando ouvimos pessoas dizendo que conversam com o Espírito Santo, que Ele responde e ainda indica caminhos ou os auxilia nas orações que fazem diariamente ao Altíssimo. Pode até parecer, mas não é nenhuma loucura. É a promessa feita por Jesus aos seus discípulos quando retornou aos céus após ter estado entre nós em sua ressureição.

Em João, capítulo 14 e versículos 15 a 17 Jesus diz que subirá aos céus, mas pedirá ao Pai que envie um Consolador para que esteja conosco até a consumação dos séculos. Esse Consolador atende pelo nome de Espírito Santo.

Quem é o Espírito Santo?

Já podemos ver o agir do Espírito Santo no inicio de tudo, quando Ele pairava sobre a face do abismo (Gênesis 1:2).

O mesmo Espírito Santo que esteve cuidado do nosso planeta na semana da criação, zelando-o enquanto permanecia sobre a face das águas, quando tudo aqui ainda era sem forma e vazio, é o mesmo que fala conosco e nos revela a identidade de Jesus Cristo (1 Coríntios 12:3).

Devemos interagir com o Espírito Santo

Se você pode falar com Deus, também pode interagir com o Espírito Santo.

É impossível viver neste mundo sem que tenhamos o auxílio do Consolador, a quem Cristo se referiu aos seus discípulos.

O Espírito Santo é uma pessoa

Como eu posso afirmar que um Espírito é uma pessoa? Cientificamente a minha tese seria excomungada, todavia não falamos de ciências quando queremos provar do maná do Senhor em nossas vidas.

Em João 16:14, Cristo diz aos que estiveram com Ele em seu ministério na terra que o Espírito Santo viria e o glorificaria e vo-lo anunciaria aos homens.

Como interagir com o Espírito Santo? Fica fácil de responder se partirmos do pressuposto de que Ele é de fato uma pessoa, não uma pessoa qualquer, mas a Pessoa da trindade que é capaz de falar, pensar, sentir e agir assim como nós.

O Espírito Santo interage e nos ensina

O Consolador é o nosso professor na matéria celestial.  Em João 14:26 é relatado que Ele nos ensinará as coisas e nos fará lembrar de tudo que Cristo disse quando aqui esteve. Essa é uma das formas que se pode interagir o Espírito Santo.

Não entristeça o Espírito Consolador de Deus

Outra prova de que Ele é uma pessoa é que pode se entristecer. Não é dado a um simples espírito sentimentos, mas ao Espírito Santo sim.

A palavra nos exorta que de não devemos entristece-lo, segundo o apóstolo Paulo em sua carta aos efésios: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (Efésios 4.30)

Ele toma decisões

Como interagir com o Espírito Santo implica em entender que Ele toma decisões, vejamos em Atos 15:28: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas essenciais.”

Por último saiba

O Espírito Santo zela por você, zela por mim e zela por todo aquele que compreende que Cristo é filho de Deus e nosso advogado à direita do Pai. O Espírito é capaz de interceder por nós frente ao Dono da vida, como vemos a partir de Romanos 8.26-27: “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.”

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente Administrativo da IVPD

Como lidar com pessoas difíceis

A bíblia num todo nos adverte, ensina e exorta quanto a lidar com pessoas difíceis. Pois, se você olhar para dentro de si, perceberá que existe, no particular, outra pessoa difícil. Não é simples lidar com pensamentos, vivência e crenças individuais (não falo crença religiosa, implico sobre o lado único de cada ser) ao que tange cada personalidade.

Jesus lidando com Pedro

Você certamente já leu sobre Pedro ao fio da espada decepando a orelha de um soldado romano (João 18:10). Por esse breve relato de João, pode-se perceber o quão genioso e explosivo era Simão Pedro. Mas Jesus soube lidar com tal temperança, fazendo daquele homem seu discípulo, e edificando sobre aquela pedra a sua igreja.

Jesus fala a Saulo de Tarso

Outro ponto em que precisamos meditar é sobre a passagem que está em Atos, no capítulo 9. O Senhor fala a Saulo, perseguidor da igreja, o indagando sobre o motivo pelo qual aquele soldado O persegue. Veja que Jesus não pergunta o motivo pelo qual o mais tarde, apóstolo Paulo, dedica sua vida a combater a igreja, mas fala-lhe em primeira pessoa. Assim você consegue perceber o quão impactante é o agir de Jesus mesmo após sua ascensão aos céus.

Jesus deu um grande exemplo a respeito de como lidar com pessoas complexas, de temperamento forte ou contrárias à nossa verdade de vida.

Ame ao próximo como a ti mesmo (Mateus 22:37-39)

Há um mandamento dado por Cristo que nos ensina a amar o próximo como amamos a nós mesmos. Veja bem o que o Senhor diz: SE VOCÊ SE AMAR, CERTAMENTE CONSEGUIRÁ AMAR AO TEU SEMELHANTE, POR OUTRO LADO, SE O TEU AMOR EM PARTICULAR NÃO EXISTE, OU SUBEXISTE, SERÁ IMPOSSÍVEL AMAR AO QUE ESTÁ AO SEU LADO.

Lidar com pessoas difíceis implica em primeiramente nos amarmos. Pois, se assim for, com certeza seremos capazes de amar a quem até mesmo nos persegue.

Deus é amor, mas é também justiça

Em Mateus 5:5 temos um exemplo de como devemos ser, esse é o capítulo das “bem-aventuranças”, veja: Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.”

Essa passagem implica sobre como lidar com pessoas difíceis. Mas caso não tem entendido, é simples explicar: Todo aquele que for manso, não somente herdará a terra, mas saberá como cuidar e cultivar tudo o que nela há, sobremaneira, sabendo até mesmo como lidar e cuidar de pessoas com personalidades fortes e muitas vezes ignorantes. Ser manso é uma forma simples e eficaz para que, com racionalidade, possamos ver o que há de melhor naquele cujo sentimento explosivo pode esconder no mais íntimo de sua alma.

Deus é amor, mas é também justiça, lembra? E por sua justiça, certamente se não agirmos como Cristo, seremos advertidos pelo Pai em dado momento de nossas vidas.

Considere ler

Leia Gálatas 5. Daqui você poderá extrair outras formas de como lidar com pessoas difíceis.

Mansidão e domínio Próprio

Em Gálatas 5:23 há um exemplo claro de como lidar com pessoas difíceis – através dos fruto do espírito santo (sim, FRUTO, pois está tudo em apenas uma posição).

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da Igreja da Vitória do Povo de Deus – IVPD

Conteúdo pode ser reproduzido se falar a fonte.

O fim dos tempos

“Habitarão nela, e já não haverá maldição, e Jerusalém habitará segura”. (Zacarias 14:11)

Esse tempo descrito por Zacarias há de vir, e não demora. Cristo voltará e reinará para toda a eternidade. Haverá uma Nova Jerusalém e um só povo, cujo majestade pertence ao Senhor que morreu em um madeiro e hoje vivo está assentado à direita de seu Pai, reinando em glória e herdeiro de tudo que há, fazendo de nós filhos do único Deus por seu intermédio.

Só há um caminho de chegar a esse tempo e ver sua face diante de nós. Ele é o próprio caminho. Ele é a verdade. E a vida está nele e, com ele. A vida é ELE! Creia! (João 14:6)

As visões de Daniel

É preciso compreender que o fim dos tempos é abordado bem antes de João. Ainda na antiga Babilônia, em maio ao exílio imposto por Nabucodonosor, Daniel teve visões acerca do tempo do fim. Não somente dos tempos vindouros, haviam também, revelações ao seu tempo. (Daniel 12)

A capítulo 12 do livro de Daniel em especial nos revela que NAQUELE tempo se levantará Miguel em favor do povo de Deus. Ao indicar o que aconteceria ao profeta, o anjo ordena que Daniel encerre as palavras e sele o livro, o qual só poderia ser aberto por Cristo, após sua expiação na terra (Lucas 19:10).

(Leia todo o capitulo 12 de Daniel e, após os capítulos 19 de Lucas e também 19 do evangelho de João para ter um melhor entendimento sobre como discorrer esse assunto até chegar em Jesus, que aparecera para Daniel quando da sua revelação).

Capítulo 14 de Zacarias

Ainda que este capítulo possa dizer mais a respeito de seu tempo, Zacarias nos permite compreender o tempo que há de vir. Ele nos mostra o que de fato acontecerá na volta do Senhor, em glória, reluzente e com o troféu da vitória junto de si – os Cristãos que perseveraram e foram fiéis até o fim.

Apocalipse – o livro das revelações

Os primeiros livros do apocalipse são palavras vindas do Senhor Jesus diretamente às 7 igrejas da Ásia, não sendo palavras para o tempo que estamos vivendo (ainda que sejam algo que podemos sim tirar como lições, pois muitas das coisas que são apresentadas pelo Senhor em sua fala, ainda são vivenciadas nos dias atuais. Conforme afirmou nosso irmão, o profeta Oséias, o povo de Deus tem sido destruído (ainda que por conveniência) por lhe faltar conhecimento (Oséias 4:6), conhecimento este que vem sendo desprezado dia após dia por não abrirem suas bíblias e apreciar o que ali está escrito, nosso guia perfeito e agradável.

Leia Apc 4 (para inciar)

Leia Apc 5, ao qual você entenderá Daniel 12 quanto a abertura daquele livro que havia sido selado pelo profeta, o qual tão somente o cordeiro é digno de abrir – os 7 selos.

Os 144 mil selados serão israelitas, não necessariamente os que vivem em Isral, pois devemos lembrar que os 4 cavaleiros do apocalipse representam os 4 cantos da terra, os 4 ventos, ventos esses que não afetarão os selados de Deus, logo podendo entender que os 144 mil estarão espalhados pela terra, bem como os israelitas estão atualmente espalhados.

Quem são as duas testemunhas? (Apc 11)

Muitos estudiosos entendem por ser Elias (poder para fechar o céu par que não chova) e Móises (poder para converter as águas em sangue).

A besta os perseguirá e os matará, mas Deus fará justiça, levando-os de volta aos céus, atemorizando a todos os que presenciarão o acontecimento.

A mulher agraciada e o dragão (apc 12)

Leia e discorra, pois esta mulher falada é Israel, e a coroa com doze estrelas representa as 12 tribos, e o dragão a perseguirá e tentará roubar a criança – simbolizando a Jesus – porém Deus reterá o pequenino nos céus. No momento da volta do Senhor, houve batalha nos céus onde Miguel expulsa a antiga serpente e João vê sua queda como um raio. Nesse momento o diabo não tem mais autonomia para estar presente nas regiões celestiais como representante da terra, pois este mundo já não pertencia mais a ele.

A Nova Jerusalém

Leia apc 21 – o novo céu e a nova terra.

Leia também apc 22 – dois últimos capítulos para fechar o entendimento.

Considerações finais

Muitos não acreditam no fim dos tempos, na volta de Cristo e que este mundo que conhecemos não mais existirá, mas é preciso que acreditem, pois tudo o que está escrito hão de acontecer. Quem tem ouvidos ouça o que diz o Espírito (apc 2:7).

Creia nesta palavra: “Naquele dia haverá um só Senhor, e somente seu nome será adorado”. (Zacarias 14:9)

Mário Antonio Marques Fascio

Presidente da IVPD

P.S.: Você pode copiar basta citar a fonte