PC recupera lancha furtada em Santana e investiga ação de ‘ratos d’água’

Delegada Luiza Maia, da 2ª DP de Santana, comandou operação que recuperou lancha furtada no dia 10 deste mês na marina da Fortaleza, em Santana. Embarcação foi localizada na Ilha de Santana.

Uma operação integrada entre as polícias Civil e Militar, do município de Santana, distante 17 quilômetros da capital, resultou na localização de uma lancha que havia sido furtada de uma marina no Igarapé da Fortaleza, Região Metropolitana de Macapá, no dia 10 deste mês.

Segundo a delegada Maia, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Santana, que preside o inquérito, é a quarta operação de resgate de embarcações furtadas naquela região no mês de junho. A delegada diz que a ação dos ‘ratos d’água’ se intensificou, mas que a polícia tem trabalhado para identificar os criminosos.

fotos: PC Amapá.

Após uma minuciosa investigação, apoiada pelo delegado Danil D’Ávila, a polícia conseguiu a localização de onde supostamente a embarcação estava escondida. Com apoio de policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), sob comando do sargento Silva Santos, eles seguiram para um igarapé na Ilha de Santana, onde a lancha foi localizada.

A delegada explicou que o local é de difícil acesso e que os criminosos fugiram da área. “Localizamos a embarcação e percebemos que havia algo estranho no local. Decidimos fazer uma varredura no leito do igarapé e encontramos o motor que estava preso a uma corda. É uma prática para tentar esconder o produto do furto, mas logramos êxito na localização”, relatou a delegada.

Somente o motor recuperado está avaliado em cerca de R$ 60 mil. Agora, com a recuperação da lancha, a polícia vai trabalhar para identificar os ladrões e colocá-los na cadeia. A delegada apura se o furto dessa embarcação foi praticado pelas mesmas pessoas envolvidas nos outros crimes similares.

“Já temos alguns suspeitos, inclusive, nomes, mas nesse momento não vamos divulgar para não comprometer as investigações. Mas, certamente, será uma questão de tempo. É importante frisar que, além de ratos d’água, os envolvidos, possivelmente, integram uma facção. Após esses furtos, eles ligam para as vítimas exigindo pagamento para devolver o bem furtado. Os bandidos estão armados e prontos para o embate, mas vamos enfrentá-los e neutralizar qualquer tipo de ação contra o Estado [polícia] ou qualquer cidadão de bem”, alertou a delegada.

Imagens: Divulgação/PC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *